“Tenho certeza absoluta que o Governo vai rever esta questão”, diz Adib Elias sobre corte de incentivos fiscais

Empresários, lideranças dos trabalhadores, políticos e representantes de instituições de ensino superior se reúnem para defender os estímulos econômicos do Estado

Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira, 31, o Movimento em Defesa ao Desenvolvimento e Emprego realizou um seminário para discutir as recentes mudanças na concessão de incentivos fiscais. O evento foi o quinto encontro e reuniu, no auditório da Associação Comercial e Industrial de Catalão (ACIC), cerca de 170 empresários, lideranças dos trabalhadores, políticos e representantes de instituições de ensino superior.

Uma das pautas da reunião foi a insegurança jurídica e como ela reduziu investimentos privados no Estado. Catalão, um dos principais municípios de Goiás e considerado uma das 100 melhores cidades para se fazer negócios, passa por instabilidades causadas pelas mudanças na política de incentivos fiscais e pela crise econômica brasileira.

O prefeito do município, Adib Elias, disse que irá se empenhar, junto ao governador Ronaldo Caiado, para reverter a decisão de reduzir incentivos fiscais para o setor privado. “Tenho uma história com a indústria, com a nossa cidade e com Goiás. Nós não vamos ser prejudicados, porque nós vamos debater, discutir e dialogar. Tenho certeza absoluta que o governo vai rever esta questão. Vou ser um instrumento de vocês para que nós possamos dar só notícias boas, alegrias e felicidade para nossa gente”, afirmou.

Segundo o Sindicato Metabase (Simecat), a Mitsubishi, sediada em Catalão, demitiu mais 200 funcionários e teve a produtividade reduzida. Com capacidade de produzir 120 mil veículos por ano, só atingiu 30 mil unidades em 2019. O presidente da Força Sindical de Goiás, Rodrigo Carvelo, apontou o medo dos trabalhadores da fábrica fechar. “Sem o incentivo fiscal corremos este risco, por isso vamos sacudir o governo para que olhe a situação. A briga pela permanência da nossa indústria será grande”, afirmou. O presidente do Simecat, Carlos Albino, salientou que se o Estado não investir na indústria, não vai se desenvolver.

Otávio Lage Filho, presidente da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial de Goiás (Adial), afirmou que o objetivo do seminário é ajudar a economia crescer e estimular a competitividade no Estado. “Os incentivos fiscais são uma política de Estado, não podem ser apenas um instrumento de governo e ficar mudando a cada nova administração”, ressaltou.

O Presidente da ACIC, César Safatle, pontuou importância da união dos empresários e trabalhadores na mobilização. “Acredito que somente juntos podemos contribuir para o sucesso dessa iniciativa. Sabemos que o estímulo do poder público faz as empresas se desenvolverem, gerar mais impostos, serviços, empregos, formando um ciclo de prosperidade econômica”, enfatizou.

O reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira, reforçou a importância do papel da academia corrente em favor do Estado. “Estou feliz em estar em Catalão para reforçar nosso papel na formação das pessoas e mostrar que a motivação principal é o fato do movimento não ser partidário, ter atuação pró-desenvolvimento. Falo em nome de todas as instituições de ensino que, além de produzir conhecimento, agregam à sociedade e formam a hélice do desenvolvimento”, assinalou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.