Explosão tinha como alvo advogado, afirma tenente do Bope

Advogado recebeu caixa de uísque, percebeu se tratar de uma bomba e tentou correr do escritório; explosão foi altamente destrutiva

Tenente Luiz André de Oliveira afirma que artefato era elaborado e tinha alto poder de destruição | Foto: Alexandre Parrode

Tenente Luiz André de Oliveira afirma que artefato era elaborado e tinha alto poder de destruição | Foto: Alexandre Parrode

A explosão em um escritório de advocacia que ocorreu no fim da tarde desta sexta-feira (15/7) foi um atentado direcionado ao advogado Walmir Cunha, afirmou o tenente do Batalhão de Operações Especiais (Bope) de Goiás Luiz André de Oliveira.

De acordo com as testemunhas, um motociclista desembarcou, entregou uma encomenda nominal ao advogado para a recepcionista, que repassou a Walmir. Quando o advogado abriu, percebeu que era uma caixa de uísque. Ao abrir o lacre, ouviu alguns bipes e percebeu que se tratava de uma bomba, tentou sair do escritório e nesse momento houve a explosão.

O tenente do Bope diz que não há ainda como precisar que tipo de explosivo foi utilizado, “o que se sabe é que era um artefato elaborado e com alto poder explosivo, mas ainda dependemos de uma perícia técnica para saber o que provocou a explosão”. A recepção do escritório ficou bastante danificada, com portas de vidro quebradas e o Bope ainda faz uma varredura no local para verificar se há algum resquício da bomba.

Sobre as investigações a respeito do motociclista que deixou o artefato, o tenente afirmou que todas as informações que forem colhidas serão repassadas para a Polícia Civil, que dará continuidade à investigação. A Polícia Técnico-Científica ainda fará a perícia no local

O tenente do Bope afirmou ainda que esse é um caso que impressiona bastante e que levanta algumas questões como se esse poderia ser um atentado terrorista. “Por informações preliminares nós não temos essa hipótese. Acredito que seja um atentado a uma pessoa específica. À pessoa do advogado”.

Deixe um comentário