“Temos recebido mensagens de crianças e adolescentes que querem se matar”, diz Damares na Alego

Ministra participou, na manhã desta quarta-feira, 19, do lançamento da Campanha de Prevenção ao Suicídio e Automutilação da Criança e Adolescente, em Goiânia 

Foto: Felipe Cardoso / Jornal Opção

Presidida pelo deputado estadual Rafael Gouveia (DC), teve início, na manhã desta quarta-feira, 19, no plenário Getúlio Artiaga da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), a “Campanha de Prevenção ao Suicídio e Automutilação da Criança e do Adolescente”. A iniciativa foi do deputado estadual Jeferson Rodrigues (PRB) e da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

A campanha, apesar de ter sido projetada a nível nacional, teve lançamento programado para ocorrer no Estado de Goiás. “Goiânia, com seus altos índices de mutilação e suicídio entre adolescentes, foi escolhida para sediar esse encontro”, explicou o autor da proposta. O intuito é conscientizar a população sobre o aumento das tentativas de suicídio entre jovens e adolescentes, alertando, consequentemente, para os riscos e formas de prevenção.

O deputado Jeferson Rodrigues foi quem abriu os discursos da solenidade. Na ocasião, o parlamentar disse que “Deus, vendo a intenção de seu coração [disse direcionado a ministra Damares] te escolheu para esta causa nobre”. E disparou em seguida: “saiba que a senhora não está sozinha”. 

Posteriormente, foi a vez da ministra. Ao discursar, Damares lembrou as razões que levaram Goiás a sediar o lançamento campanha que será trabalhada em todo País. “Nós somos vizinhos e estamos lidando com os números deste Estado, especialmente com o que temos visto no entorno do Distrito Federal (DF), é de assustar”. Segundo Damares, é recorrente o número de “meninos e meninas que estão se machucando” no entorno.

“Jovens e adolescentes estão se ferindo e se suicidando. Infelizmente estamos diante de uma tragédia nessa nação e temos que ter coragem para falar sobre o assunto. Só um governo corajoso e comprometido poderia fazer isso”, pontuou a ministra que aproveitou para, em seguida, elogiar a maturidade do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para tratar o tema.

“Trabalhamos pela aprovação de uma lei no Congresso Nacional que tem por objetivo tornar obrigatório as notificações, não mais apenas dos suicídios, mas também das tentativas pois até então não tínhamos esses números”, argumentou. De acordo com a ministra, hoje, “nós amargamos o oitavo lugar no mundo em suicídio e com essas notificações é possível que estejamos entre os cinco primeiros do mundo. Esse recorde eu não quero para a minha nação”.

Damares acrescentou também que no Brasil 120 mil pessoas tentam suicídio por ano. “Mas 12 mil cometem suicídio. É uma realidade e está acontecendo”. Outros dados também foram apresentados ao público presente no encontro. Segundo Damares, há registros no Sistema Único de Saúde (SUS) de crianças de seis anos de idade que suicidou no Brasil”. “Temos recebido, via disque 100, mensagens de diversas crianças e adolescentes que querem se matar”, lamentou.

Em coletiva de imprensa, Alves adiantou os primeiros passos da campanha: “Começaremos pelos Conselhos, depois iremos trabalhar com os professores. Temos parcerias, inclusive, com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) que vai fornecer treinamento para os professores. O tema está na mesa e ninguém está sabendo como lidar com ele e por isso o treinamento será estendido a toda sociedade que tenha interesse”.

Questionada sobre a atuação de cada ministério na concretização do projeto em questão, Damares disse que a iniciativa é do Ministério da Saúde, Ministério da Educação e Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos. “Não somos protagonistas, estamos apenas articulando as ações”, explicou.

Homenagens

No evento, também foi entregue a maior honraria do Legislativo goiano: a Medalha do Mérito Legislativo Dr. Pedro Ludovico Teixeira. Com ela, foram contemplados, além de Damares, os promotores de Justiça do Ministério Público de Goiás (MP-GO) que atuaram na prisão do médium João de Deus — liderança religiosa no município de Abadiânia.

“Como é bom ter o nosso labor reconhecido. Essa nossa luta exige comprometimento, sacrifício e muita força. Tudo isso para que a gente possa entregar para a sociedade o que ela espera do Ministério Público. Isso nos dá a certeza que estamos, por meio de nosso trabalho, contribuindo com esse Estado. Aproveito para registrar nossa gratidão pelo Poder Legislativo e seus deputados”, disse o procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Goiás , Aylton Flávio Vechi.

Foram agraciados também os promotores de Justiça Ariane Patrícia Gonçalves, Augusto César Borges, Cristiane Marques, Gabriella de Queiroz Clementino, Luciano Mirando Meireles, Patrícia Otoni Periera, Paula Moraes de Matos, Paulo Eduardo Penna Prado, Renata Caroliny Ribeiro, Steve Gonçalves Vasconcelos e Thiago Galdino Placheski.

Além da ministra, do deputado Rafael Gouveia, que presidiu a sessão, e do deputado Jeferson Rodrigues, autor da proposta, também estiveram presentes no encontro o representante do governador Ronaldo Caiado, Lívio Luciano; o desembargador e vice-presidente do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), Nicomeds Domingos Borges; o desembargador Walter Carlos Lemes; a secretária Nacional da Família, Ângela Gandra Martins e outras autoridades. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.