“Temos legitimidade para pedir novos espaços no Paço Municipal”, diz aliado peemedebista

Uma das vagas almejadas pelo PMDB seria a coordenação da Habitação, extinguida com a nova reformulação

Pauloo Garcia se reuniu com novos secretários na segunda-feira (8)| Foto: Edilson Pelikano/Ascom

Paulo Garcia  e o vice Agenor Mariano (PMDB, segundo à esquerda) em reunião com novos secretários na segunda-feira (8)| Foto: Edilson Pelikano/Ascom

O PMDB tem legitimidade para buscar mais espaço no primeiro escalão da Prefeitura de Goiânia. Essa é a avaliação que um vereador ligado ao Paço Municipal fez, nesta terça-feira (9/6), ao ser questionado pelo Jornal Opção Online se o partido estaria satisfeito com o novo secretariado de Paulo Garcia (PT), anunciado na segunda-feira (8).

“Sempre dizem que as indicações são partidárias, mas na verdade as escolhas partem do chefe [Paulo Garcia]. Até mesmo porque o comando é dele. Assim como, por exemplo, o governador Marconi Perillo [PSDB] não aceitaria uma indicação goela a baixo para sua equipe”, pontuou a fonte. O cargo mais desejado seria o ligado ao setor da habitação, ocupado pela sigla nas últimas reformas.

Ainda segundo o entrevistado, as nomeações ocorreram sem a interferência da Comissão Provisória do PMDB metropolitano — que substitui o diretório atualmente — e do ex-governador Iris Rezende, o que reforça a tese de que o líder não teria sido consultado. Especialmente pela pela substituição de Dario Délio Campos da presidência do Instituto Municipal de Assistência à Saúde e Social dos Servidores (IPSM).

A aliança com o PT para as eleições de 2016 na capital não fica prejudicada com o novo quadro, conforme relatou o aliado. “Temos um fator que será diferencial no processo eleitoral: o segundo turno. Temos que manter os pé no chão e foca na administração”, analisou.

Dança

O vereador peemedebista Paulo Borges retornou aos quadros e será empossado na pasta de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia. Outros nomes do partido são Sebastião Peixoto, na Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), e Andrey Azeredo, indicação da legenda. Ele assume a Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT).

Com a dança das cadeiras, o PT de Paulo Garcia perdeu mais espaços que o PMDB: agora, os petistas têm 11 órgãos (antes eram 18), e os peemedebistas, nove (antes eram 13).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.