Temer recusa jantar, tenta evitar depoimento à PF e segue preso em sala com frigobar e ar-condicionado

Defesa do ex-presidente solicitou tratamento semelhante ao que Lula recebe em Curitiba

Foto: Reprodução

A defesa de Michel Temer deve tentar evitar o depoimento marcado para esta sexta-feira, 22, na sede da superintendencia da Polícia Federal no Rio, onde o ex-presidente está preso.

O ex-ministro Moreira Franco e o coronel João Baptista Lima, que estão presos no Batalhão Especial Prisonal (BEP), na região metropolitana do Rio, se deslocaram à unidade para depor.

Acomodações

Temer está no terceiro andar do prédio, em uma sala de 20 m2 que era usada pelo corregedor da PF e foi improvisada para recebê-lo. O local tem banheiro privativo, janela, ar-condicionado, frigobar, sofá e mesa de reunião. Uma cama de solteiro e TV também foram disponibilizadas no local.

Na noite de quinta-feira, 21, agentes da PF ofereceram comida ao ex-presidente, que recusou o jantar. Ele recebeu a visita do ex-ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), que disse ter encontrado Temer tranquilo, porém triste.

O cardápio do café da manhã não foi informado. Em Niterói Moreira Franco e Lima comeram pão com manteiga e café com leite.

Inicialmente, o juiz Marcelo Bretas havia determinado que Temer fosse enviado à mesma unidade onde está Moreira, e também o ex-governador Luiz Fernando Pezão. Mas, após solicitação da defesa que pediu tratamento semelhante ao dado ao ex-presidente Lula, o juiz optou por enviá-lo à sede da PF.

Temer foi preso nna Operação Descontaminação, que apura corrupção em obras da usina nuclear Angra 3. (Com informações da Folha de S. Paulo)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.