Temer exonera três ministros para votação de reformas na Câmara

Mendonça Filho (DEM), Bruno Araújo (PSDB) e Fernando Bezerra Filho (PSB) reassumem mandato no Congresso para articular junto a suas bases pela aprovação

Ministros Mendonça Filho (DEM), Fernando Bezerra Filho (PSB) e Bruno Araújo (PSDB) foram exonerados e voltam à Câmara dos Deputados | Fotos: Reprodução ABr e PR

O presidente da República, Michel Temer (PMDB) exonerou três ministros de Estado para reassumirem mandato na Câmara dos Deputados, diante da eminência da votação de reformas importantes para o governo na Casa e a dificuldade em conseguir os votos necessários para a aprovação das mesmas.

Voltam para o Legislativo os ministros da Educação, Mendonça Filho (DEM),  de Cidades, Bruno Araújo (PSDB) e de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho (PSB). A exoneração foi publicada na edição desta quarta-feira (26/4) do Diário Oficial da União.

Na segunda-feira (24), o governo já havia anunciado que adotaria a estratégia de exonerar ministros para fortalecer o apoio a outra reforma na Câmara, a da Previdência, mas a medida veio antes, para a votação de da reforma trabalhista que acontece nesta quarta-feira (26). Ao todo, 14 ministros podem ser afastados das pastas e voltar à atuação parlamentar.

Os primeiros a retornarem são lideranças de partidos importantes da base do governo, incluindo o ministro do PSB, partido que tem 35 deputados e nesta semana fechou questão contra as reformas trabalhista e da Previdência.

Apesar de alegar tranquilidade para aprovação do texto da reforma trabalhista, é certo que o governo terá dificuldade em alcançar os votos necessários para aprovação da PEC da Previdência. Levantamento publicado pelo jornal Estado. S. Paulo nesta quarta-feira (26), 214 deputados são contrários e apenas 76 são favoráveis à aprovação.

Mesmo que todos os 223 parlamentares que estão indecisos ou se recusaram a responder se posicionassem pelo “sim”, não haveria votos suficientes, uma vez que são precisos 308 votos para a aprovação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.