Temer decreta fim do Farmácia Popular e 18 unidades em Goiás devem fechar as portas

Quase 400 drogarias serão desativadas em todo País. A partir de maio, produtos passarão a ser distribuídos unicamente pela rede de farmácias conveniadas

Unidade do programa Farmácia Popular no Setor Leste Universitário | Divulgação

O Ministério da Saúde anunciou que iré desativar, a partir de maio, as 393 unidades da rede própria do programa Farmácia Popular, de distribuição de medicamentos gratuitos ou com até 90% de desconto. Agora, os produtos serão distribuídos unicamente pela rede de farmácias conveniadas.

No Estado de Goiás, as 18 unidades ativas do Farmácia Popular, conforme contabiliza relação no portal do Ministério da Saúde, devem fechar as portas. Na capital, a rede possui duas filiais, uma no Setor Central e outra no Leste Universitário.

A maior preocupação com a desativação do sistema é com pacientes que procuram alguns remédios específicos que não estão disponíveis nos estabelecimentos conveniados. Na rede própria, são ofertados, hoje, 112 medicamentos; já nas drogarias com desconto são disponibilizados 32.

Conforme o ministério, quase 90% das pessoas procuram remédios para hipertensão, diabetes e asma, disponíveis também nas outras farmácias. Ainda segundo a pasta, o paciente que precisa tomar remédios indisponíveis na rede particular terá que procurar uma unidade básica de saúde ou clínica da família para “descobrir” onde conseguir o remédio.

O governo federal justifica a desativação da rede própria para geração de economia de aproximadamente R$ 80 milhões. O Ministério da Saúde informou que os recursos economizados serão repassados à compra de medicamentos.

6
Deixe um comentário

6 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
6 Comment authors
Geraldo Gomes

Literalmente o Brasil não tem mais remédio.

Sonia cristina

Isso e uma vergolha,nosso pais nao tem mas jeito, vai começa a perigrinaçao,para.
Mim e nossa população. A procura de medicamento para nossos familiares que sse encontra doente.

Ademar

Aí está o retorno dos nossos impostos…

MERE

O povo que precisa vai sofrer

Edgard Segantini

O governo disponibiliza recursos para presidiários e também não cobra quem deve ao BNDES, e quer cortar remédios a população que necessita. Que tipo de caráter tem esse suposto representante de um povo? Onde existe lógica e coerência no que se habilita a fazer?

Esse filho da puta, só veio atrasar a vida do povo Brasileiro.