Temer afirma que ministros denunciados na Lava Jato serão afastados provisoriamente

Em pronunciamento à imprensa, presidente voltou a dizer que o governo não quer “blindar” ninguém, mas não afastará titulares mencionados em investigações

“Governo não quer blindar ninguém” | Foto: Divulgação Planalto

O presidente da República Michel Temer (PMDB) anunciou nesta segunda-feira (13/2) que pretende afastar de maneira provisória qualquer ministro que seja denunciado em processo da Operação Lava Jato e, caso se torne réu, será afastado de maneira definitiva.

A decisão também leva em conta que a simples menção de membros do governo em inquéritos não levará ao afastamento do citado. “O governo não quer blindar ninguém, mas não pode aceitar que a simples menção seja molde para incriminar alguém em definitivo”, disse o presidente.

“Quero anunciar em caráter definitivo que o governo jamais vai interferir nessa matéria, que corre por conta da Polícia Federal, do Ministério Público e Judiciário”, afirmou. ” Se houver conjunto de provas que possam conduzir acolhimento de denúncia, o ministro denunciado sera afastado provisoriamente. Caso se transforme em réu, o ministro é afastado definitivamente”.

O anúncio de Michel Temer se refere à expectativa do planalto quanto ao desdobramento da homologação das 77 delações premiadas da empreiteira Odebrecht pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O material encontra-se agora com o procurador-geral da República Rodrigo Janot, a quem cabe analisar seu conteúdo e decidir por apresentar denúncias, abrir inquéritos ou encaminhar algum  processo para outras instâncias judiciais.

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.