“Tem gente que está morrendo no canto do hospital como se tivesse afogada”, diz Bolsonaro sobre falta de oxigênio em Manaus

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, Bolsonaro chamou ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de “melhor gestor” e o elogiou por ter ido a Manaus dar uma resposta à crise

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 14, que as pessoas estão morrendo nos hospitais de Manaus como se tivessem afogadas por causa da falta de oxigênio em meio a uma severa nova onda da Covid-19 no Amazonas.

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, Bolsonaro chamou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de “melhor gestor” e o elogiou por ter ido a Manaus dar uma resposta à crise.

“Vai lá e resolve o assunto. Entra em contato com a Força Aérea, nosso ministro da Defesa, o brigadeiro da Aeronáutica. Precisamos de tantas aeronaves para levar oxigênio agora para Manaus. Tem gente que está morrendo no canto do hospital como se tivesse morrendo afogada. Imediamente as questões são resolvidas”, disse Bolsonaro.

Apesar dos elogios, Manaus segue com dificuldade para obter oxigênio para seus hospitais, após o aumento dos casos de Covid-19 levar a um aumento de seis vezes na demanda de oxigênio como suporte no tratamento dos pacientes com Covid-19.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.