Técnicos dos Estados Unidos virão ao Brasil para vistoriar carne

Medida faz parte dos esforços do Ministério da Agricultura para retomar exportações, suspensas desde junho

Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Blairo Maggi (PP) anunciou, nesta segunda-feira (14/8), que técnicos estadunidenses farão uma visita técnica ao Brasil ainda neste mês para fazer uma inspeção veterinária. A medida faz parte de esforços do Governo Federal para retomar a exportação de carne para o país.

“Tudo sendo arrumado para [o Brasil] voltar em breve ao mercado dos Estados Unidos”, declarou ele. Blairo foi pessoalmente até os EUA para uma reunião com o secretário de Agricultura do governo norte-americano, Sonny Perdue, para tratar da questão.

As exportações estão suspensas desde o último dia 22 de junho, quando foram encontrados abscessos, que são formações purulentas ou fibrosas na carne, provavelmente causados por reações à vacina contra a febre aftosa. Além disso, as autoridades sanitárias nos Estados Unidos também verificaram pedaços de ossos na parte dianteira dos animais.

Para tentar resolver o problema, o Ministério da Agricultura afirmou que vai mudar um dos componentes da vacina, a sapomina, e reduzir as doses da vacina de 5 ml para 2,5 ml.

“Não é uma questão de saúde humana, mas de apresentação. O Brasil é livre de aftosa com vacinação, o que significa que não podemos exportar para um país livre sem vacinação qualquer tipo de carne com osso”, explicou ele. A medida é para tentar prevenir a doença, já que, no caso de infecções, o vírus poderia resistir por meses nos ossos.

Atualmente, a venda de carne fresca para os Estados Unidos representa 2% das exportações no país, uma prática comercial que começou em setembro do ano passado, depois de 17 anos de negociações. Além da carne fresca, o Brasil também comercializa carne industrializada para os EUA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.