Técnicos da Aeronáutica recolhem informações sobre acidente com filho de Alckmin

Peritos trabalham no local onde caiu o helicóptero desde a noite da última quinta-feira (2/4). Não há previsão para o encerramento dos trabalhos

Desde a noite da última quinta-feira (2/4), quatro técnicos do Centro de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) trabalham no local onde caiu o helicóptero em que estava o filho do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. O acidente matou Thomaz Alckmin, Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves — que pilotava a aeronave — e três mecânicos, que também estavam abordo. A queda aconteceu no final da tarde de ontem em Carapicuíba, município da zona oeste da Grande São Paulo.

Segundo a Aeronáutica, os peritos estão na chamada ação inicial da investigação, quando são tiradas fotos do local e recolhidas peças do helicóptero. Além da coleta de todas as informações e documentos que possam indicar os fatores que contribuíram para o acidente, inclusive do material produzido pelas equipes de resgate. Não há ainda previsão para o encerramento desses trabalhos.

A empresa Seripatri, proprietária da aeronave, informou que o helicóptero, da marca Eurocopter, modelo EC 155, tinha cerca de quatro anos de uso e 600 horas de voo. De acordo com a empresa, a documentação do aparelho estava em ordem. Na ocasião da queda, era realizado um voo de teste, após manutenção preventiva.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo não divulgou, até o momento, o andamento da apuração feita pela Polícia Civil.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.