“Taxistas irregulares agiram por desespero com concorrência desleal”, diz associação

Cerca de 30 taxistas foram autuados por “fazer ponto” irregularmente no aeroporto; Aspertagyn se posicionou a favor da fiscalização, mas justificou ato de taxistas

Fiscalização apreendeu ao menos 12 veículos | Foto: Divulgação/Seplanh

Fiscalização apreendeu ao menos 12 veículos | Foto: Divulgação/Seplanh

Na madrugada do último sábado (19/11), cerca de 30 taxistas foram autuados após fiscalização da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) que flagrou os motoristas fazendo ponto irregularmente no Aeroporto Internacional de Goiânia Santa Genoveva. Ao menos 12 veículos foram apreendidos.

A Associação dos Permissionários de Táxi de Goiânia (Aspertagyn) emitiu nota na qual afirmou que é “totalmente a favor das fiscalizações e, consequentemente, do cumprimento das leis”. A associação lembrou, ainda, que há 100 permissionários que ocupam as vagas do ponto fixo do aeroporto que passaram por um rigoroso processo seletivo e podem atuar somente ali.

Entretanto, de acordo com a nota, a atitude dos motoristas que desrespeitam o ponto fixo e buscam passageiros no aeroporto é compreensível. O episódio “é mais um capítulo do desespero de pais de família que sofrem com a concorrência desleal praticada pela empresa Uber”, classificou a Aspertagyn.

Durante a ação da Seplanh, vários permissionários tentaram fugir do local, mas não tiveram sucesso. “As tentativas de fuga durante as ações no Aeroporto são habituais nas ações que realizamos. Os permissionários transitaram inclusive sobre as ilhas do aeroporto na tentativa de fugirem, porém interditamos as duas entradas e, com o nosso serviço de inteligência, conseguimos realizar a ação”, explicou o gerente de Fiscalização de Transportes da Seplanh, João Peres.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.