Suspeito de duplo homicídio de advogados é preso em Tocantins

Ele foi detido por volta das 6h30, na região metropolitana de Palmas. A Polícia Civil goiana não confirma a informação

Advogados assassinados em Goiânia | Foto: Reprodução

Um homem foi preso nesta sexta-feira, 30, suspeito de participação no assassinato dos advogados Marcus Aprígio Chaves e Frank Alessandro Carvalhães de Assis dentro de um escritório de advocacia de Goiânia. P.H.M.S, de 25 anos, teria sido preso na região metropolitana de Palmas, em Tocantins, na manhã desta sexta.

As informações são das TVs Anhanguera e Record. A Polícia Civil goiana, entretanto, não confirmou o caso.

Ele e um comparsa teriam se hospedado em um hotel no Centro de Goiânia no último domingo, 25, três dias antes do crime. A polícia chegou a resgatar imagens captadas por uma câmera de segurança que mostram os suspeitos na porta do hotel.

A Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH) criou uma Força-Tarefa composta por cinco Delegados e 30 Policiais Civis para investigação visando a elucidação do crime. A suspeita é que P.H. teria sido contratado para cometer o assassinato, que foi motivado por uma causa ganha pelos advogados, que a outra parte teria ficado insatisfeita.

Em nota, a Polícia Civil de Goiás informou que as equipes de investigação continuam atuando para elucidar o homicídio que vitimou dois advogados em Goiânia. “A Polícia Civil lamenta as informações desencontradas e inverídicas publicadas nas redes sociais vinculando veículos, pessoas e/ou objetos a investigação”, aponta o documento.

O crime

Os advogados Marcus Aprígio Chaves, de 41 anos, filho do desembargador Leobino Valente Chaves, ex-presidente do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), e Frank Alessandro Carvalhaes de Assis, de 47 anos, foram mortos a tiros por dois homens na quarta-feira, 28, no Setor Aeroporto, em Goiânia.

Dois homens marcaram um horário para consultar com os advogados, entraram e se sentaram sem máscara. Na sala, dispararam dois tiros na nuca de cada um dos advogados. Após o crime, os Bombeiros foram acionados e confirmaram as mortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.