Supermercados em Goiás já começam a enfrentar desabastecimento

Associação Goiana de Supermercados (Agos) está acompanhando o protesto nacional dos caminhoneiros contra o aumento do preço do diesel

Rodovia bloqueada em Jataí | Foto: Divulgação PRF

A Associação Goiana de Supermercados ( Agos) se posicionou no início da noite desta quarta-feira (23/5) por meio de nota sobre a greve dos caminhoneiros em todo o Brasil. O texto enviado informa que, mesmo com o esforço do setor de supermercados para garantir o perfeito abastecimento da população goiana, foi identificado que alguns estabelecimentos já começaram a sofrer com o desabastecimento de alimentos, e que isso poderá se estender para todo o Estado nos próximos dias, se algo não for feito.

Ainda de acordo com a nota, a Agos​ atuará junto com a Associação Brasileira de Supermercados, buscando sensibilizar o governo federal para que uma solução seja tomada o quanto antes. Evitando que a população sofra com a falta de produtos de necessidades básicas e com uma eventual elevação nos preços.

Greve

Iniciada na segunda-feira (21) com bloqueios por rodovias em alguns Estados brasileiros, a greve dos caminhoneiros completa três dias e tem causado reflexos no país inteiro.

Em Goiás, são cerca de 20 trechos que impedem o tráfego para veículos de carga, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os manifestantes afirmam que só vão liberar os pontos após negociação para redução do valor do produto, além da aprovação de uma lei que cria um valor mínimo para o frete para categoria.

Diesel

A Petrobras já anunciou também nesta quarta-feira (23) que o preço do diesel deve cair 1,54% nas refinarias. O valor está acima da inflação acumulada no ano, de 0,92%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os caminhoneiros, porém, ainda não aceitaram esta proposta.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.