STF separa investigações de Aécio e Temer. Presidente terá de depor

O ministro Edson Fachin decidiu nesta terça-feira (30/5) que o inquérito tramitará de forma separada. Além disso, o presidente irá depor a PF por escrito 

foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin decidiu nesta terça-feira (30/5) separar as investigações sobre o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), abertas a partir do acordo de delação premiada da JBS.

Com a decisão, o inquérito tramitará de forma separada. Todos os acusados passaram a ser investigados no mesmo processo no STF porque foram citados nos depoimentos de Joesley Batista, dono da JBS.

As decisões foram motivadas por pedidos de desmembramento dos inquéritos pelos advogados de defesa.

Depoimentos

Ainda nesta terça-feira, Fachin autorizou a Polícia Federal (PF) a tomar o depoimento do presidente Michel Temer. De acordo com a decisão, Temer deverá depor por escrito e terá 24 horas para responder aos questionamentos dos delegados após receber as perguntas sobre as citações nos depoimentos de delação da JBS.

Na mesma decisão, Fachin concedeu prazo de dez dias para que a PF finalize a investigação. (Com Agência Brasil)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.