SSP-GO apresenta dados sobre mortes de mulheres a vereadores da capital

Audiência será realizada na sede da pasta nesta tarde. Integrantes de comissão da Casa querem oferecer apoio para facilitar elucidação das mortes

Parte da cúpula da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-GO) vai receber vereadores integrantes da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara Municipal para audiência na tarde desta quarta-feira (6/8), na sede da pasta, na Avenida Anhanguera, no Setor Aeroviário. O tema da conversa será os assassinatos de mulheres jovens na capital.

“Queremos saber das medidas que estão sendo tomadas para investigar o possível assassino, ou se é mais de um, e oferecer algum tipo de ajuda”, relatou Cristina Lopes (PSDB), que preside a comissão. Segundo ela, está havendo transferência de responsabilidade entre o prefeito Paulo Garcia (PT) e o governador Marconi Perillo (PSDB) para resolver os problemas do setor.

Em contrapartida, a SSP-GO deve apresentar, sem detalhes, os planejamentos feitos nas investigações dos assassinatos que envolvem a participação do suspeito em uma motocicleta, que age de forma semelhante. Além disso, também serão apresentadas as medidas que estão sendo efetivadas para reduzir os índices de criminalidade em Goiânia.

A pasta também deve adiantar aos vereadores que as investigações estão sendo prejudicadas por conta de trotes e denúncias feitas às polícias Civil e Militar, o que estaria gerando “desgastes” e “perda de tempo”.

Confirmaram presença o secretário de Segurança Pública do Estado (SSP-GO), Joaquim Mesquita, o comandante-geral da Polícia Militar, o coronel Sílvio Benedito Alves, e Edson Costa Araújo, superintendente Executivo da secretaria. Os outros integrantes da comissão são Rogério Cruz (PRB), Mizair Lemes Jr. e Eudes Vigor (do PMDB), Fábio Lima (PRTB), Carlos Soares (PT), Paulo Magalhães (SD). O convite foi estendido a todos os vereadores.

Força-tarefa

Na tarde de sábado (2), foi registrado mais um crime, em que uma menor de 14 anos foi morta por um motoqueiro em um ponto de ônibus. No mesmo dia, o governador anunciou força-tarefa para acelerar a conclusão dos inquéritos e convocou 15 delegados do interior goiano para auxiliar nas apurações.

Em coletiva, o titular da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), Murilo Polati, não descartou a possibilidade de um assassino em série (serial killer) estar atuando em Goiânia.

Repercussão

A possibilidade de um criminoso do tipo estar solto pelas ruas da cidade foi parar nas redes sociais, o que gerou boatos, falsas denúncias e informações desencontradas. A família de uma das 13 vítimas está oferecendo recompensa para quem der o paradeiro do homicida.

No próximo sábado (9), será realizada uma manifestação pedindo a resolução dos casos, que ganharam repercussão nacional nesta semana.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.