Sons Tácitos aposta em estilos experimentais com três apresentações no CCUFG

Frieza, Ousel e Høstil trazem sonoridades que passam pelo metal de uma pessoa só e o eletrônico com toques sutis e sombrios até chegar ao minimalismo do post-rock

Cena musical goiana mostra parte de sua nova e diversificada produção com shows de Frieza, Ousel e Hostil no teatro do Centro Cultural da UFG | Fotos: Jéssica Domingos/Gabriel Mendes/Gabriel Lara de Arruda

A produção cultural goianiense é ampla e diversificada. Mas grande parte dela passa despercebida ou segue a vida distante do conhecimento do público da capital. E na música não é diferente. A cada ano, surgem novos artistas, bandas, que gravam discos, se apresentam em diversificados locais da cidade, mas sem que muita gente saiba que existem ou fizeram parte da história musical de Goiânia.

É justamente com essa proposta que a noite Sons Tácitos traz hoje apresentações da Frieza, Ousel e Høstil no teatro do Centro Cultural da Universidade Federal de Goiás, ao lado da Praça Universitária, às 19h30. Os ingressos custam R$ 15 a meia-entrada, com a bilheteria dividida entre as atrações da noite. São sonoridades que dialogam mais com um lado experimental da produção cultural da cidade, que dificilmente chegam ao conhecimento do público acostumado a receber nas playlists de plataformas de streaming e pela programação das rádios aquilo que é sucesso.

A Tácito Records resolveu propor “um panorama sobre a nova cena de música alternativa e independente goiana trazendo três conjuntos unidos pela temática”. A proposta é voltar a noite às apresentações com sonoridade sensorial e experimental, “todos comunicando suas mensagens através de composições que tentam adentrar as intimidades da existência e percepção humana através do que há de escuso, turvo e sombrio, sem deixar de referenciar o nostálgico, o sublime e o belo”.

O projeto começa com o Frieza, que já foi um trio, e hoje é formado apenas por Augusto Scartezini, o Chita, dos Hellbenders. Depois do disco de estreia, “Frieza” (2017), Chita continuou a proposta de misturar o metal em suas vertentes mais sombrias com experimentos em sintetizadores e vertentes eletrônicas misturadas ao peso das guitarras e vocais rasgados. Está previsto o lançamento de um EP gravado em parceria com o vocalista e guitarrista do Boogarins, Fernando Almeida Filho, o Dinho. Na nova fase, o nome adotado por Chita é Frieza Sole.

Ousel é uma das novidades mais interessantes da música independente em Goiânia. A banda de post-rock em seu ponto mais minimalista lançou recentemente as músicas “Maya” e “Silent Mess” nas plataformas de streaming. Traz em seu som influências como Mogwai e Slowdive. O grupo é formado por Roberta Moro no vocal, João Paulo Guimarães na guitarra, Renato Fernandes na guitarra e teclados, Túlio Queiroz no baixo e Matheus Cúrcio na bateria.

A sonoridade, que tem um pé forte no shoegaze, dialoga com a música mais popular pela semelhança da voz de Roberta em alguns momentos com a ex-vocalista da banda irlandesa Cranberries, Dolores O’Riordan.

O disco de estreia foi gravado, mixado e masterizado no Estúdio Resistência com os produtores Francisco Arnozan e Lucas Rezende (Aurora Rules). Batizado com o nome da banda, o álbum terá oito canções, que devem ser tocadas no show de hoje. “As letras em geral, tratam de temas relacionados a estados emocionais humanos despertados por questões como a vulnerabilidade e insegurança”, explica o material de divulgação da Ousel.

Já a Høstil é a junção musical de Gabriel Santana (Components, Caffeine Lullabies) com Helena Salenko em uma viagem experimental sombria em sua sonoridade e visualmente. A dupla se entrega ao eletrônico movido pelo “descontentamento com a ausência de sentido do universo perante a inquietação com um mundo despropositadamente agressivo”.

A veia experimental do eletrônico da Høstil levou Gabriel e Helena aos festivais Bananada, Vaca Amarela e Sonâncias (MG). Em Belo Horizonte (MG), a dupla gravou um EP produzido pela Paula Rebellato, do Rakta e Acavernus, e Daniel Nunes, do Constantina e Projeto Lise, no Sonâncias Lab.

Os três shows contarão com projeções do VJ Edson Graphixo e serão registrados em material audiovisual que será disponibilizado de forma gratuita depois pelas próprias bandas.

Sons Tácitos – Frieza, Ousel e Høstil
Abertura da bilheteria: 18h30
Abertura do Teatro: 19 horas
Shows: À partir das 19h30 (pontualmente)
Ingressos antecipados: contato.tacitorecords@gmail.com
Valor: R$ 15,00 (meia), R$ 30,00 (inteira)
Venda: e-mail (antecipado) e bilheteria do CCUFG (apenas no dia da realização do evento)
CCUFG: Avenida Universitária, 1533, Setor Leste Universitário
Produção: Tácito Recs
Realização: PROEC, UFG e CCUFG

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.