Haddad convida Edward Madureira para retornar ao PT

Até o próximo dia 31, ex-reitor da UFG decide se disputará vaga de deputado federal pelo PT, PSB, PDT ou PCdoB

Ex-reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira (sem partido) segue sem ter a ficha de filiação abonada para concorrer uma das 17 cadeiras disponíveis para o Estado na Câmara dos Deputados, em Brasília. Ele, no entanto, pode integrar os 18 nomes que o PT goiano vai disponibilizar para o pleito. O político, inclusive, se reuniu na última terça-feira, 15, com o ex-prefeito de São Paulo e pré-candidato ao governo paulista pelo PT, Fernando Haddad, que o convidou para retornar ao partido que tem Lula como pré-candidato ao Palácio do Planalto.  

Madureira ficou na primeira suplência do PT nas eleições de 2014, quando obteve 58.865 votos e foi o 23º candidato a deputado federal mais bem votado. Com bom desempenho, Madureira quer voltar às urnas nas eleições gerais deste ano e aproveitar o processo eleitoral para articular uma bancada de defesa da educação e a ciência no Congresso Nacional e nos legislativos estaduais. Ele, inclusive, disse que Haddad, ex-ministro da Educação no governo Lula, apoia o movimento. “Na sua visão, ter parlamentares comprometidos com a educação e a ciência é essencial para o desenvolvimento do Brasil e a sustentação do governo do presidente Lula. Fiquei muito honrado ao ouvir dele que há uma grande expectativa de que eu possa ser um dos líderes dessa bancada”, conta.

Edward lembrou que ele e Haddad foram parceiros na implantação do Reuni, um programa de expansão das universidades federais do Brasil. À época, Haddad era ministro da Educação. Edward, reitor da UFG e presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). O programa, segundo o pré-candidato a deputado federal, rendeu importantes conquistas para a educação superior do país. “A gestão dele como ministro, no governo do presidente Lula, sem dúvida, foi marcada por avanços impressionantes para a educação no Brasil”, avalia.

Além do PT, o ex-reitor tem convites do PSB, PDT e PCdoB. A escolha da sigla, segundo ele, deve ocorrer até o próximo dia 31, portanto, antes do prazo para que ele esteja devidamente filiado para concorrer nas eleições de outubro. “Ainda não há novidades, as possibilidades estão entre os mesmos partidos. No entanto, já encerrei as conversas com os partidos e a decisão será a partir de conversas com pessoas ligadas à organização da pré-campanha”, explica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.