Soma de possível superfaturamento sobre as tarifas de licenciamento pode chegar a R$ 66 milhões

“Para se ter uma ideia, hoje, quatro anos depois, o preço médio da tarifa de vistoria no país é de R$ 85. Há quase cinco anos foi estipulada uma tarifa de R$ 117”, explica Rômulo Figueiredo

Foram apreendidos 16 carros de luxo e uma moto | Foto: Eduardo Pinheiro/Jornal Opção

O delegado Rômulo Figueiredo de Matos, ajunto na especializada em Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap), diz que as investigações da Operação Cegueira Deliberada apura  superfaturamento da tarifa de licenciamento de veículos estabelecida ainda no processo de licitação.

Segundo o delegado, as empresas que apresentavam a estimativa de valor no início do procedimento licitatório estavam atuando em conluio para estabelecer um acima do “mercado”. Isso quer dizer que a Sanperes/Terceira Visão atuava com sócios ocultos para simular não somente uma concorrência, mas para elevar o preço do serviço a ser prestado.

“Para se ter uma ideia, hoje, quatro anos depois, o preço médio da tarifa de vistoria no país é de R$ 85. Há quase cinco anos foi estipulada uma tarifa de R$ 117”, explica.

Rômulo Figueiredo diz ainda que a quantia acima proporcionou uma arrecadação de R$ 44 milhões, feitos em cima do reajuste ilegal da tarifa. A investigação ainda leva a crer que a soma, superfaturada, pode chegar à cifra dos R$ 66 milhões.

As investigações iniciais apontam indícios de favorecimento à Sanperes/Terceira Visão, responsável pelas vistorias veiculares no Estado desde 2015.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.