Solenidade do BRT mostra força de Baldy no Planalto

Durante cerimônia. Temer referiu-se à “agilidade” do goiano em três oportunidades

O evento que marcou o reinício da construção do BRT de Goiânia mostrou que o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, é hoje o político goiano com mais prestígio junto ao presidente Michel Temer (MDB).

Não só pelos aplausos que ganhou da plateia a pedido do presidente – que interrompeu o discurso para homenagear o ministro. Mas também pelo fato de ter conseguido destravar um projeto que parecia fadado a ser o maior elefante branco da história do Estado.

O BRT foi licitado em 2015 e sofreu interrupções seguidas nos meses seguintes, até parar de vez no começo de 2017. Além do atraso do município no pagamento da contrapartida, surgiram também divergências entre prefeitura, Caixa Econômica e Tribunal de Contas da União (TCU) que pareciam insanáveis. Baldy, que nesta quinta completou 113 dias no cargo, montou uma força-tarefa que contornou os entraves burocráticos em tempo recorde.

Na cerimônia, Temer referiu-se à “agilidade” de Baldy em três oportunidades. Disse em uma delas: “no governo, um dos maiores desafios é a retomada de obras que estão paralisadas há anos. E Baldy tem feito isso com agilidade extraordinária. Por isso tenho orgulho de tê-lo como ministro”. Num País em que a burocracia atrasa a maioria dos projetos executados com dinheiro público, “agilidade” se tornou uma virtude admirável em Brasília.

O próprio prefeito Iris Rezende (MDB) reconheceu que a chegada do goiano ao Ministério das Cidades inaugurou um novo capítulo na briga pelo BRT. “Estava muito difícil destravar a obra, até que chegou o nosso goiano Baldy ao governo e as coisas começaram a acontecer com mais rapidez”, reconheceu Iris.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.