Sob contestação, Clécio Alves é indicado para representar os vereadores na CDTC

Jorge Kajuru (PRP) contesta escolha e afirma ter apoio da maioria da Câmara para compor comissão sobre transporte coletivo da região metropolitana

Clécio Alves, ex-presidente da Casa | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Andrey Azeredo (PMDB), encaminhou ofício com a indicação do vereador Clécio Alves (PMDB) para compor a Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC), que estabelece políticas públicas de regência da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC), bem como planejamento, gerenciamento, controle e fiscalização dos serviços de transportes coletivos.

A indicação, anunciada e encaminhada na última quarta-feira (8/2) pelo presidente, gerou polêmica no plenário da Câmara Municipal nesta quinta (9), depois que o vereador Jorge Kajuru (PRP) contestou a decisão, afirmando ter a assinatura de 18 vereadores que apoiariam seu nome para a vaga.

“Para lidar com o assunto do transporte coletivo, não adianta ser preparado, o que tenho certeza que o vereador Clécio é. Mas tem que ser 100% independente. Já tenho uma maioria de 18 assinaturas favoráveis a minha indicação e acredito que esta não pode ser uma decisão monocrática do presidente”, disse Kajuru.

Clécio defendeu que apresentou requerimento para ficar com a vaga logo no primeiro dia de sessão. “Conversei com diversos colegas aqui e apresentei meu nome. Não fiz nada às escuras e a indicação, já protocolada, foi feita atendendo a todos os preceitos regimentais. Coloquei meu nome para representar a Câmara com toda dignidade, responsabilidade e espírito público que o cargo exige, mas se os vereadores acham que outro nome é melhor, tenho a humildade para abrir mão”, afirmou.

O presidente Andrey Azeredo reiterou durante a sessão que a decisão da indicação de Clécio, ato de competência do presidente que não precisa da aprovação do plenário, já foi tomada e oficializada por meio de ofício já despachado para a CDTC.

Fazem parte da CDTC, prefeitos municipais de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Senador Canedo, secretário titular da Secretário de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), o presidente da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR), o presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), o secretário municipal de Trânsito, Trasporte e Mobilidade de Goiânia (SMT), e um representante da Assembleia Legislativa de Goiás e outro da Câmara Municipal de Goiânia.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.