“Só quero ser útil”, diz deputado Carlos Antônio sobre Orçamento Impositivo

Sem mandato em 2019, deputado é a favor de consenso sobre futuro das emendas impositivas

Foto: Reprodução

As discussões na Assembleia Legislativa de Goiás sobre o Orçamento Impositivo continuam acaloradas. O deputado Carlos Antônio (PTB), embora não tenha conseguido a reeleição, é uma das vozes ativas no debate, em defesa da redução do índice sobre a Receita para as emendas impositivas.

Fora da Assembleia em 2019, Carlos diz que só quer ser útil ao parlamento, mesmo que fora da Casa no próximo pleito. “Não tenho interesse político, sou a favor da valorização do parlamento e onde eu puder contribuir eu irei”, afirmou, reiterando que, a princípio, não tem planos para as eleições municipais de 2020.

Antônio disse, ainda, que é a favor de um consenso em relação à matéria. Para ele, o governo, que será gerido por Ronaldo Caiado (DEM), não terá condições de destinar 1,2% da Receita do Estado para as emendas impositivas, como prevê o Projeto de Lei aprovado em outubro deste ano.

Por sua vez, ele também é contra o adiamento em dois anos proposto pelo deputado Bruno Peixoto (MDB). “Sou a favor da redução do índice, não da prorrogação, porque essa matéria foi uma conquista da Casa”, concluiu. Segundo ele, a solução mais diplomática é o escalonamento, como proposto por Simeyzon.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.