Sindibares, Fecomércio e Governo de Goiás promovem ação para conscientizar empresários e clientes sobre adoção de protocolos de segurança

Para facilitar adesão das regras sanitárias, foram distribuídas máscaras N-95 e kits com álcool gel e placas informativas aos estabelecimentos

Protocolos de segurança sanitária em restaurantes. | Foto: Agência Sanitária de Brasília/reprodução

Campanha Reabertura Responsável, promovida pelo Sindibares Goiânia em parceria com a Fecomércio e apoio do Governo de Goiás, foi iniciada nesta segunda-feira, 5. O intuito é conscientizar empresários e clientes quanto a importância de cumprir os protocolos de segurança em bares e restaurantes, que em Goiânia, na última semana, foram liberados para reabrir seguindo determinações do decreto municipal.

De acordo com o Sindibares, os mais de 300 associados do sindicato receberam informações e treinamentos para que todas as normas sejam cumpridas rigorosamente. O presidente do Sindibares Goiânia, Newton Pereira, explica que essa capacitação serve para tirar as dúvidas da brigada interna quanto a utilização correta dos instrumentos de proteção, como o uso do álcool, a lavagem das mãos e até como exigir do cliente a adoção dos protocolos. Apesar da adesão da campanha, por parte dos estabelecimentos associados ao sindicato, não ser obrigatória, Newton explica que foi majoritária.

Ações de reforço à campanha

Para ajudar os empresários, o Sindibares iniciou ações em parceria com a Fecomércio e Secretaria Estadual da Retomada. Com o Governo de Goiás, conseguiu a doação de cinco mil máscaras N-95 a serem distribuídas aos profissionais que atuam no atendimento em bares e restaurantes. Também serão entregues kits com frascos de álcool em gel 70%, placas informativas e adesivos de sinalização. Os utensílios de sinalização têm objetivo de chamar atenção para a obrigatoriedade do uso das máscaras, distanciamento, higienização das mãos, uso de luva em buffets, que deverão ficar expostas para visualização de todos. 

“Entendemos que todos precisamos nos unir para combater o avanço da Covid-19, só assim poderemos manter nossas empresas abertas. Todos associados do Sindibares entenderam a importância dessa ação e estão seguindo as normas e não vamos tolerar que uma minoria não cumpra as regras e prejudique a maioria que segue corretamente os protocolos.” Destaca Newton Pereira, presidente do Sindibares Goiânia.

Além dessas ações serão desenvolvidas campanhas em rádios da cidade divulgando os protocolos adotados nos estabelecimentos, mostrando que bares e restaurantes são locais seguros.  Nas redes sociais a entidade iniciou campanhas patrocinadas com informações da reabertura responsável reforçando todos os cuidados que estão sendo seguidos.

Danillo Mendes é proprietário do Piry Bar e Restaurante, associado do Sindibares. Ele explica que, por mais que esses protocolos já viessem sendo adotados desde a reabertura do ano passado, agora estão mais rigorosos. Ele cita, por exemplo, a limitação de seis clientes por mesa, o distanciamento de dois metros entre cada mesa, a higienização rigorosa e individualização dos talheres, a utilização dos equipamentos de proteção por parte dos funcionários e a exigência da utilização da máscara por parte do cliente nos momentos de circulação dentro do estabelecimento.

Protocolos para combate da Covid-19 em Goiânia

Após publicação do último decreto municipal, que prevê a segunda fase do modelo 14 por 14, com a reabertura das atividades consideradas não essenciais, bares e restaurantes de Goiânia retomaram suas atividades na última quarta-feira, 31.

Com isso, todos os estabelecimentos em Goiânia devem seguir novas regras, como o horário de funcionamento das 11h às 23h, lotação máxima de 50% da capacidade, seis pessoas por mesa e música ambiente ou “voz e violão” limitada a dois integrantes. Além dos demais protocolos, como distanciamento das mesas, álcool em gel em diversos pontos e uso de máscaras ao circular pelo local, em restaurantes com buffet serão oferecidas luvas para que o cliente possa se servir.

O objetivo da adoção de medidas mais exigentes é que a curva de contágio do novo coronavírus não aumente, ao mesmo tempo em que estabelecimentos comerciais consigam se reestabelecer financeiramente do prazo que precisaram permanecer fechados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.