Sete pessoas são denunciadas pelo Ministério Público por tráfico de drogas em Alto Paraíso de Goiás

O grupo formado para comercializar maconha, cocaína e drogas sintéticas no município

Sete pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Goiás por comercializar maconha, cocaína e drogas sintéticas em Alto Paraíso de Goiás. De acordo com o promotor de Justiça Danilo de Souza Rezende, o grupo formado para praticar crimes de tráfico de entorpecentes era composto por Itamar Francisco dos Santos, Jainan Moreira de Jesus, Monique Barbosa de Amorim, Natan Ferreira de Farias, Renildo de Assunção Felipe, Rômulo Farias de Freitas e Tales Uygor Pereira.

No dia 4 de junho deste ano, policiais militares que realizavam diligências na Horta Comunitária de Alto Paraíso foram informados que Renildo de Assunção Felipe havia arremessado duas sacolas com drogas no quintal de um vizinho.
Os policiais conseguiram prendê-lo e apreender quatro porções de maconha, totalizando, aproximadamente, 1,5 quilo; duas porções de cocaína, pesando, aproximadamente, 39 gramas, e 1 pedra de crack de aproximadamente, 57 gramas.

Tales foi preso no dia 1º de julho e a polícia descobriu que ele era encarregado de vender e entregar as drogas para Renildo, de quem seria empregado. Ele também foi denunciado por prestar auxílio visando a tornar seguro o proveito do crime a terceiro, uma vez que guardou um revólver furtado para outro criminoso.

Segundo o promotor Danilo de Souza Resende, a partir dos elementos objetivos de convicção que apontam a existência de associação entre Tales, Monique e Renildo, também foi possível constatar outros vínculos associativos autônomos para a venda de droga, notadamente de Tales e Itamar. Quanto a Jainan Moreira de Jesus, foi detectado que ele vendeu drogas a Tales, tendo recebido como pagamento uma lixadeira furtada. Já Natan Ferreira de Farias adquiria drogas de Tales para revender na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.