Servidores pressionam vereadores por arquivamento da reforma da Previdência

Para acompanhar a sessão, categoria anunciou paralisação das atividades para esta quarta (29)

Professores e outros servidores públicos municipais se reuniram novamente na manhã desta quarta-feira (29/8) na Câmara de Goiânia para cobrar o arquivamento da proposta de reforma da Previdência municipal. Para acompanhar a sessão, a categoria anunciou paralisação das atividades.

O texto de autoria do prefeito Iris Rezende (MDB) atualmente aguarda parecer da relatoria na Comissão de Constituição e Justiça da Casa de leis. Sem consenso entre a categoria e a prefeitura, o relator Wellington Peixoto (MDB) adiantou ao Jornal Opção na terça (28) que a matéria poderia sim ser arquivada já no colegiado, antes mesmo de ir a plenário.

Durante sessão ordinária desta manhã, acompanhada pelos servidores da galeria, o assunto foi pauta entre os parlamentares. Membro da CCJ, o vereador Delegado Eduardo Prado (PV) adiantou o voto e disse que votaria pelo arquivamento da proposta do Paço, assim que fosse apreciada pela comissão.

O impasse maior passa pelo aumento progressivo da alíquota de contribuição dos servidores. A categoria sugere que a contribuição seja de 11%. Na proposta enviada pelo Executivo, entretanto, as alíquotas seriam de 12% a partir de 2019; 13% a partir de 2020 e 14% a partir de 2021.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.