Servidores de Goiânia denunciam no MP possíveis irregularidades na reforma da Previdência

Representantes do Sindsaúde, Sintasb-GO e Sindiflego irão entregar o texto também para os vereadores 

Foto: Reprodução

Representantes do Sindicato dos Servidores da Saúde de Goiás (Sindsaúde), do Sindicato dos(as) Técnicos(as) e Auxiliares em Saúde Bucal do Estado de Goiás (Sintasb-GO) e do Sindicato dos Funcionários do Legislativo Goianiense (Sindiflego) protocolaram nesta terça-feira (18/9) no Ministério Público de Goiás uma denúncia com supostas irregularidades na proposta de reforma da Previdência dos servidores do município de Goiânia.

O projeto enviado pela prefeitura de Goiânia já foi aprovado em primeira votação na Câmara Municipal e deve ser discutido na Comissão de Trabalho e Serviços Públicos ainda nesta terça-feira (18).

De acordo com Beto Mariano, do Sindflego, no texto apresentado constam todos os itens de inconstitucionalidade durante a execução e aprovação do projeto. Eles pedem que a promotoria tome providências e investigue a situação.

“Há problemas desde a contratação da empresa que fez o projeto, feita sem licitação, até texto feito sem autorização do conselho”, disse ao Jornal Opção.

O representante questiona ainda o vazamento de um áudio em aplicativo, na voz do presidente do IPSM, Sílvio Fernandes, agradecendo nominalmente aos líderes empresariais pela “ajuda” para aprovação do projeto, o que coloca em dúvida a lisura do processo e a autonomia do Poder Legislativo.

“Agora, a nossa única chance é com o MP e a Justiça”, desabafou. Os representantes dos sindicatos se reúnem esta tarde com o chefe de gabinete do procurador-geral de Justiça de Goiás Benedito Torres Neto e seguem para a Câmara Municipal para entregar aos vereadores a denúncia.

Na próxima quinta-feira (20) os servidores irão protestar nas galerias da Casa em busca da derrubada do projeto.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.