Servidores de Goiânia anunciam greve e pedem mudanças no projeto de reforma da Previdência

Trabalhos serão paralisados por dois dias para que trabalhadores possam acompanhar a tramitação do projeto na Câmara Municipal

Em assembleia unificada de diversas entidades representativas, o Fórum dos Servidores Municipais de Goiânia aprovou paralisação de dois dias de trabalho, nesta quarta e quinta-feira (14 e 15/8), para que os trabalhadores possam acompanhar a tramitação do projeto que trata da reforma da Previdência na Câmara Municipal de Goiânia.

A expectativa era de que a matéria fosse analisada na Comissão de Constituição, Justiça e Redação na sessão desta quarta-feira (15/8). No entanto, o relator do projeto, vereador Wellington Peixoto (MDB) informou à reportagem que ainda não recebeu o projeto para que seja elaborado um parecer.

“Amanhã de manhã não tem condições da matéria ser apreciada na CCJ. Se a Sabrina (Garcêz, presidente da Comissão), achar que achar que a matéria deve ser votada, ela pode convocar uma outra sessão para o período vespertino”, afirmou.

Na última semana, o Fórum dos Servidores Municipais de Goiânia  apresentou à Comissão um documento com propostas de emendas ao projeto de Lei complementar que reestrutura o Instituto de Previdência Social dos Servidores Municipais (IPSM).

Entre os principais pontos estão a alíquota de contribuição dos servidores. O Fórum sugere que seja de 11%. Na proposta enviada pelo Executivo,  as alíquotas seriam de 12% a partir de 2019; 13% a partir de 2020 e 14% a partir de 2021.

 

Deixe um comentário