Servidores da Saúde em Goiânia farão paralisação escalonada

Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate a Endemias reivindicam reajuste do piso e plano de carreira

Agentes de saúde votam pela paralisação | Foto: Luiz Phillipe Araújo/ Jornal Opção

Em assembleia realizada na tarde desta segunda-feira, 20, agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate a Endemias vinculados à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) decidiram por fazer uma paralisação escalonada a partir do dia 30 de maio.

No dia do início do movimento será feita nova assembleia, onde será divulgado um calendário definitivo das paralisações. Neste momento, os servidores seguem para a SMS rumo a uma conversa com a titular Fátima Mrué.

De acordo com o diretor do Sindsaúde, Leucides José de Sousa, falta por parte do Município uma indicação clara de quando e como as pautas serão atendidas.

Motivos

O Sindsaúde reivindica o reajuste do piso salarial e plano de carreira. Eles querem o cumprimento da Lei Federal 13.708/18 pela prefeitura de Goiânia que garante o reajuste do piso salarial sobre os atuais R$ 1.014.  A Lei em questão fixa – em 2019 – o piso dos profissionais no valor de R$ 1.250,00. Já para os anos seguintes o reajuste será de R$1.400,00, em 2020, e de R$ 1.550,00, em 2021.

Outra reivindicação do Sindicato é a inclusão das duas categorias no plano de carreira da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (Lei 8.916/2010). Pleito que, segundo a categoria, até o momento não teve avanço nas negociações com a prefeitura.

“Queremos que a prefeitura cumpra a lei do piso e que também garanta a essas duas categorias os mesmos benefícios assegurados pelo plano de carreira da Secretaria de Saúde”, ressaltou a presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.