Servidores de diversas categorias da prefeitura de Goiânia protestam contra Paulo Garcia

 O movimento foi pacífico e reuniu cerca de dez sindicatos

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Agentes de trânsito, guardas civis metropolitanos, professores e funcionários da fiscalização — todos servidores da prefeitura — participaram na manhã desta quinta-feira (5/6), de um protesto no Paço Municipal.  Em pauta, a velha insatisfação com o prefeito Paulo Garcia (PT).

A Polícia Militar informou que 400 pessoas participaram do ato. O movimento foi pacífico e reuniu cerca de dez sindicatos. Trabalhadores da saúde que não estão em greve também participaram. A categoria reivindica o retorno do pagamento adicional da insalubridade.

Antes de se juntarem aos manifestantes, os professores da rede municipal protocolaram um pedido de impeachment contra o prefeito na Câmara Municipal.  O professor e coordenador do Sindicato Municipal dos Servidores da Educação de Goiânia (Simsed), Antônio Gonçalves, disse ao Jornal Opção Online que o argumento de impugnação de mandato é que o petista não está conseguindo administrar a cidade. “O pedido de cassação se deve ao desrespeito às normas constitucionais. Como a má aplicação dos recursos públicos e o caos generalizado na cidade”, afirmou Antônio Gonçalves.

Os guardas civis metropolitanos entraram em greve no começo do mês passado. Em seguida foi a vez dos agentes de trânsito, no dia 9 de maio. A paralização dos servidores administrativos, docentes e auxiliares de atividades educativas da Rede Municipal de Educação de Goiânia começou dia 26 de maio. As principais reivindicações das categorias são o aumento salarial e o cumprimento da data-base de 2014.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.