Serial killer de Goiânia é absolvido pela primeira vez por morte de jovem

Única testemunha do assassinato não reconheceu Tiago Henrique como autor do crime

Testemunha de crime afirmou que Tiago não seria o autor dos disparos que vitimou Edimila Ferreira Borges | TJGO

Testemunha de crime afirmou que Tiago não seria o autor dos disparos que vitimou Edimila Ferreira Borges, de 18 anos | TJGO

O vigilante Tiago Henrique, apontado como o serial killer que atuava em Goiânia, foi absolvido pela primeira vez em júri popular. Em sessão nesta quarta-feira (26/10), ele foi absolvido pelo assassinato de Edimila Ferreira Borges, de 18 anos, morta no Setor João Braz, em Goiânia.

A única testemunha que presenciou a morte da jovem não reconheceu o vigilante como o autor do homicídio, reforçando o que Tiago já havia dito durante audiência de instrução, ema gosto de 2015. O assassino em série alegou, à época, que não tinha nada a ver com o caso e que foi obrigado a confessar o assassinato.

Edimila foi morta no dia 19 de agosto de 2013, por volta das 14h20, na Rua Tóquio, esquina com a Rua Dona Carolina. A jovem estava acompanhada de sua prima, sentada em um banco de uma praça quando um motociclista se aproximou delas e efetuou um disparo na cabeça da garota

Este é o primeiro caso atribuído ao serial killer que não finaliza com sua condenação. Até agora, Tiago Henrique já foi considerado culpado pelo homicídio de 17 pessoas e suas penas somam 423 anos e 10 meses de prisão – as sentenças ainda envolvem um roubo e o crime de porte ilegal de arma.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.