Prefeito de Aparecida de Goiânia não defende expulsão, mas disse que “seria mais digno” se os colegas deixassem a sigla por conta própria 

Gustavo Mendanha | Foto: Fernando Leite

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), criticou em entrevista ao Jornal Opção nesta quinta-feira (22/3), colegas de partido que nesta semana declararam apoio à pré-candidatura do senador Ronaldo Caiado (DEM) ao Governo de Goiás, preterindo assim o pré-candidato do próprio MDB, deputado federal Daniel Vilela.

[relacionadas artigos=”119963″]

“Posicionamentos diversos fazem parte da democracia e eu respeito quem pensa diferente de mim. Mas se decidiram que vão caminhar com o projeto de outro partido, então seria digno que entregassem o comando dos diretórios de seus respectivos municípios e saíssem do MDB”, sentenciou o prefeito de Aparecida.

Lideram o movimento caiadista dentro do MDB os prefeitos Ernesto Roller (Formosa), Adib Elias (Catalão), Paulo do Vale (Rio Verde), Renato de Castro (Goianésia) e Fausto Mariano (Turvânia), além do deputado estadual José Nelto.

Mendanha, porém, não defende a tese de que os divergentes deveriam ser expulsos. “Acho que o partido não deve expulsar ninguém, até porque esse não é o nosso perfil. Mas já que escolheram outro caminho, seria digno se eles mesmos deixassem o MDB”, reiterou. 

Segundo ele, o movimento representa uma minoria. “A grande maioria do MDB quer candidato próprio e o melhor nome que temos é o do deputado Daniel Vilela, que é jovem, tem andado pelo estado e está preparando um projeto que será o melhor para Goiás”, defendeu.