Sergio Moro trará ainda mais popularidade ao governo Bolsonaro, diz Thiago Albernaz

Deputado estadual eleito também comentou sobre fusão de ministérios

Foto: Divulgação

Eleito deputado estadual em 2018, Thiago Albernaz (Solidariedade) afirmou nesta quinta-feira (1º/11) que a decisão do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) em convidar o juiz federal Sergio Moro para comandar um superministério a partir de 2019 é uma decisão acertada. Para Thiago, o juiz trará mais popularidade ainda ao governo.

“Vejo como uma decisão acertada, inclusive pela prerrogativa de que ele [Sergio Moro] está lutando pelo combate à corrupção. Se trata um homem que ao longo de toda sua carreira profissional é um combatente da corrução. Sem contar a popularidade do Sergio Moro. Com certeza, isso trará ainda mais popularidade para o governo. Tenho certeza de que grande parte da sociedade verá isso com bons olhos”, disse.

Questionado sobre uma possível reação negativa dos eleitores de Bolsonaro em relação aos primeiros movimentos para a transição do governo, como tentativa de fundir ministérios e aprovar Reforma da Previdência ainda este ano, o deputado eleito destacou é dever do presidente tomar certas decisões.

“Acredito que é necessário tomar posições. Isso de fato traz neste momento uma necessidade de entender que, como presidente, ele terá que decidir. Ele tem uma popularidade muito alta. Mas no governo ele terá o compromisso de resgatar a moral, a estabilidade, a economia”, disse.

Fusão de Ministérios

Em relação à possibilidade de fusão dos Ministérios da Agricultura e Meio Ambiente, Thiago Albernaz se posiciona contra por entender que cada pasta deve ter sua independência.

“Já foi colocada uma afirmação de que não é certeza. Depois que foi vinculado na imprensa, o próprio presidente disse que ainda vai consultar sua equipe para tomar a decisão. Eu não sou favorável. Vejo necessidade de independência das duas plataformas”, concluiu.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.