Senadores goianos são favoráveis ao adiamento do Enem

Pauta deve ser discutida nesta terça-feira, 19, em sessão no Senado e tem adesão de boa parte da bancada

Foto: Reprodução

Está em pauta do Senado na tarde desta terça-feira, 19, o Projeto de Lei 1.277/2020, que suspende instantaneamente a aplicação de provas e exames, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em casos de calamidade pública decretados pelo Congresso Nacional. O projeto é de autoria da senadora Daniela Ribeiro (PP-PB). Izalci Lucas (PSDB-RJ) é o relator do processo.


No último dia 19, há exatamente um mês, o ministro da Educação, Abraham Weintraub usou as redes sociais para afirmar que o Enem ia acontecer nas datas marcadas para final de outubro e início de novembro. No entanto, os senadores tem se mostrado favoráveis em votar contra a decisão do ministro e adiar as provas.


O Jornal Opção falou com dois dos três senadores goianos que ocupam as cadeiras no legislativo nacional. A redação tentou contato com o senador Jorge Kajuru (PRP), mas não obteve resposta. O senador Vanderlan Cardoso se mostrou aberto ao diálogo com o governo federal e não repreendeu a decisão de Weintraub, mas apoiou uma dilatação da data.

“Sou favorável a um acordo. O ministro Abraham Weintraub não radicalizou. Para chegarmos a um consenso, estou conversando com a Daniella Ribeiro, autora do projeto, com o senador Izalci Lucas, relator do projeto, e com o governo federal, por meio do Ministério da Educação e do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep). Vamos tentar um acordo até o último momento da votação para que este projeto não venha a ser vetado pelo Executivo”, afirmou.


“Sou favorável desde que não passe de dezembro, para não prejudicar o próximo ano letivo”, avaliou Vanderlan. Sobre suas expectativas de como o Senado votará a matéria, ele disse que trabalha por um diálogo e equilíbrio para que se chegue a um acordo.


O senador Luiz do Carmo (MDB) também se posicionou pelo adiamento. “O Enem veio para democratizar o vestibular, para que não só os ricos entrassem na universidade. Sou a favor, sim. Temos de achar uma data aprovável, porque muita gente pobre não tem internet. Por que o Ministério da Educação não quer que adie? Estou estudando isso aqui no momento”, disse o parlamentar.


Ele também acredita que o Enem deve ser realizado ainda neste ano para que não haja prejuízo do ano letivo. “Igual às eleições, temos que adiar o máximo possível, mas dentro deste ano ainda”, opinou. “Acho desigual. Quem tem condições de assistir aulas online, quem tem uma boa internet, estuda melhor”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.