Senador pede cassação do mandato de Romero Jucá

Telmário Mota disse que gravações envolvendo o senador constituem quebra de decoro parlamentar e comparou caso do peemedebista com o de Delcídio do Amaral

Foto: Marcos Oliveira/ Agência Senado

Telmário Mota e Romero Jucá são adversários políticos publicamente declarados | Foto: Marcos Oliveira/ Agência Senado

Doze dias depois de ter sido nomeado ministro do Planejamento do governo de Michel Temer (PMDB), o senador Romero Jucá (PMDB-RR) teve que se afastar do cargo nesta segunda-feira (23/5) depois de ter sido pego sugerindo que o impeachment foi a maneira que alguns políticos encontraram de barrar as investigações da Lava Jato.

Na terça-feira (24), o senador e adversário político de Jucá, Telmário Mota (PDT-RR), e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, protocolaram, no Conselho de Ética do Senado, um pedido de processo disciplinar contra ele por quebra de decoro parlamentar.

Para Telmário e Carlos Lupi, o caso de Romero é parecido com o do ex-senador Delcídio do Amaral (Sem partido – MS), flagrado tentando negociar a fuga do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, com medo de que ele pudesse fazer uma delação premiada. Delcídio perdeu o cargo de senador no último dia 10.

Segundo o texto protocolado no Conselho de Ética, Jucá buscou “(…) Proteção pessoal e se esquivar do alcance das investigações, mediante um grande acordo”. “A nosso sentir, não há qualquer dúvida de que o senador Romero Jucá abusou de suas prerrogativas constitucionais, pois realizou conversa incompatível com a conduta de um parlamentar”, afirma o documento.

Briga de longa data

Telmário e Romero são adversários políticos declarados. Assim que Jucá tomou posse, por exemplo, Mota entrou com uma ação contra a nomeação na Justiça Federal. Segundo ele, indicar Jucá para um ministério era “imoral”, visto que ele é citado em diversos processos no Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao ser informado da intenção de Telmário de entrar com uma representação contra ele no Conselho de Ética, Romero Jucá o atacou lembrando de sua mulher, condenada pela Justiça Federal por corrupção. “Um dos autores é um bandido, sua mulher está sendo presa hoje, provavelmente, porque roubou dinheiro na Assembleia Legislativa para sustentá-lo. Portanto, ele é um desqualificado”, alfinetou.

Suzete de Oliveira, esposa de Telmário, foi sentenciada a quase seis anos de prisão por ter se envolvido em esquema de desvio de verbas públicas em Roraima. O senador saiu em sua defesa, dizendo que “Ela responde como uma cidadã comum e quando a Justiça achar que ela tem que pagar, ela vai pagar”.

Agora, o presidente do Conselho, senador João Alberto (PMDB-MA), tem até cinco dias para avaliar a denúncia e ver se dá prosseguimento a ela.

Uma resposta para “Senador pede cassação do mandato de Romero Jucá”

  1. Olha aqui, minha gente, se estes oposicionistas fossem tão diligentes no tempo de Lula I e II e Dilma Vana I e meio, teríamos um Congresso depurado…Por muito mais, o sr. Telmário não girou uma tecla de seu teclado contra o Zé Dirceu ou outro parlamentar qualquer, hoje preso pela Lavajato…
    AQ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.