Senado recebe requerimento para criação da CPMI da JBS

Comissão de inquérito vai investigar aportes do BNDES à J&F, operações do grupo no mercado financeiro e acordo de delação premiada

Senador Ataídes Oliveira apresentou requerimento em plenário para abertura de CPMI da JBS| Foto: Divulgação / Assessoria

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), leu, na última quinta-feira (25/5), requerimento do senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) que pede a instalação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar irregularidades envolvendo a empresa JBS e sua holding, a J&F, incluindo as operações financeiras com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a partir de 2007.

A partir da leitura, a próxima etapa é a conferência das assinaturas, e se for confirmado o apoio de 27 senadores e 171 deputados, será feita leitura do pedido de abertura em sessão do Congresso Nacional e a comissão poderá ser definitivamente instalada.

Segundo o autor do pedido, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), o requerimento tem assinaturas de 32 senadores e pelo menos 200 de deputados.

“Essa CPMI tem muito a investigar. Além dos aportes suspeitos que o grupo dos irmãos Batista recebeu do BNDES e da BNDES-Par, também vai estar na mira da comissão o ganho bilionário do grupo com compra de dólares e venda de ações às vésperas do vazamento das gravações de conversas com o presidente Temer. Eles vão ter que explicar tanta ‘esperteza’”, afirmou Ataídes.

A comissão também pretende analisar ainda os termos e condições e a fiscalização das delações premiadas firmadas com o Ministério Público e homologadas pelo Supremo Tribunal Federal.

Para o senador autor da proposta, os acordos que beneficiaram os irmãos Joesley e Wesley Batista têm multas de baixo valor, sem pena de prisão e monitoramento eletrônico, com permissão inclusive para viagens ao exterior. “Foi um acordo de delação super, hiper, mega premiada, que deixou bandidos confessos livres, leves e soltos”, comentou o parlamentar

A CPI mista, se criada, também vai averiguar outros pontos como a possível existência de um cartel no mercado de proteínas animais, gerando prejuízos aos produtores rurais em decorrência desse monopólio; e a existência de irregularidades fiscais perante os governos estaduais e federal, num débito com a Previdência estimado em quase R$ 2 bilhões. (Com informações Assessoria e Agência Senado)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.