Senado arquiva definitivamente pedido de cassação de Aécio Neves

Presidente do Conselho de Ética já havia decidido não levar o processo em frente, mas oposição entrou com recurso

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado Federal arquivou nesta quinta-feira (6/7), de maneira definitiva, o processo que pedia a cassação do mandato de Aécio Neves (PSDB-MG). No último dia 23 de junho, a representação contra o senador tucano já havia sido arquivada pelo presidente do colegiado, senador João Alberto (PMDB-MA), mas parlamentares da oposição, liderados pela Rede, entraram com recurso contra a decisão.

Eles, no entanto, não conseguiram alcançar o número de votos necessários e, por 11 votos a 4, o processo foi arquivado definitivamente, sem espaço para recursos no plenário. Para o líder da Rede, Randolfe Rodrigues (AP), a decisão contraria outras tomadas anteriormente, como a que cassou o mandato do ex-senador pelo PT Delcídio do Amaral.

“A partir de hoje, não faz mais sentido ter Conselho de Ética. A decisão é completamente contraditória em relação a decisões anteriores do próprio conselho. Se há ou não havia razão para processar o senador Aécio, porque nós processamos e cassamos o mandato do senador Delcídio, já que os fatos aqui elencados são mais graves?”, disparou.

O presidente do colegiado, por sua vez, negou ter sofrido pressão e disse ter consciência de que “não existe absolutamente nada para condenar o senador Aécio Neves”.

Após 45 dias afastado do mandato, Aécio Neves retomou seu mandato na última terça-feira (4), com a permissão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello. Baseada na suspeita de envolvimento do senador com o empresário Joesley Batista, a ordem de afastamento foi dada pelo ministro ministro e relator da Lava Jato na Suprema Corte, Edson Fachin.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.