Sempre a ciência…

Somente a batalha travada contra a covid-19 dentro dos laboratórios de pesquisa científica é que pode nos trazer uma resposta definitiva contra essa crise sem precedentes

*Robson Vieira é presidente da Fapeg (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás)

A pandemia de covid-19 tem nos feito viver uma realidade inimaginada. Mesmo diante da comprovação dos primeiros casos na China no final de 2019, nenhum de nós poderia supor que a doença conduziria o mundo todo por caminhos de tanto risco e incerteza. No entanto, se por um lado foi difícil prever como a doença afetaria o planeta, por outro, nunca houve dúvidas de que a superação dessa crise só será definitiva por meio do trabalho da ciência.

É inquestionável que as medidas de prevenção e isolamento, a gestão pública e até mesmo o acesso à informação são elementares para que as pessoas possam proteger as suas vidas. Mas somente a batalha travada contra a covid-19 dentro dos laboratórios de pesquisa científica é que pode nos trazer uma resposta definitiva contra essa crise sem precedentes.

As instituições de ciência e tecnologia do mundo todo assumiram essa responsabilidade e em Goiás isso não é diferente. No mês de abril, o Governo do Estado, por meio da Fapeg, iniciou uma busca por pesquisadores que pudessem apresentar soluções que ajudassem o mundo a enfrentar a pandemia. O resultado apontou para 72 pesquisas das mais diversas áreas do conhecimento com o objetivo comum de enfrentar e superar os efeitos da covid-19.

Entre os inscritos, 13 projetos foram selecionados e vão receber R$ 1,2 milhão do Governo de Goiás para serem executados. O investimento indica uma preocupação não só em passarmos por essa crise, mas em fazer do Estado de Goiás um protagonista entre os entes mundiais responsáveis por trazer soluções para o enfrentamento da pandemia. Os estudos a serem fomentados incluem pesquisas que utilizam inteligência artificial para a descoberta de fármacos para covid-19, diagnóstico molecular rápido e programas de reabilitação pulmonar, entre outros.

Todos esses projetos nasceram espontaneamente a partir da expertise de cada grupo de pesquisadores, mas principalmente, a partir do desejo desses cientistas em entregar soluções e esperança para a sociedade. Mesmo enfrentando os efeitos da pandemia em sua vida privada, como todos nós, e até mesmo uma série de questionamentos sobre o seu trabalho, os cientistas goianos não esmoreceram. E sabemos que continuarão firmes. É nos momentos de crise que se destacam aqueles que têm compromisso com a sua missão. E a da ciência sempre foi e sempre será proteger a vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.