Semad alerta para riscos de rompimentos de barragens em Goiás

Medições apontam níveis pluviométricos acima do normal no Estado. Ações preventivas devem ser realizadas para evitar desastres

Volumes de chuvas acima de 100 milímetros já demandam uma atenção redobrada dos proprietários de barragens no Estado: Semad recomenda vistoria da estrutura e que o nível da água seja reduzido, já pensando em um possível cenário de cheia

Devido às previsões de fortes chuvas para os próximos dias no Estado, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Semad) pediu alerta aos donos de barragens. Medições do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), em conjunto com Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e Serviço Geológico Brasileiro (CPRM) apontam níveis pluviométricos entre 150 e 400 milímetros nos Estados de Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

Segundo Marcos Antônio de Souza Menegaz, superintendente de recursos hídricos e saneamento da Semad, acima de 100mm já deve ser o bastante para cobrar maior atenção de quem possui barramentos em suas propriedades. Ainda, a Semad pede aos proprietários que mantenham comunicação com as Defesas Civis e com vizinhos de até 10km de distância da represa. Também é necessário que os reservatórios estejam com seus níveis de água reduzidos, para que em casos de cheia, possam receber e escoar água sem problemas.

A Semad pede para que sejam verificadas rachaduras nas ombreiras e taludes pois, nestes casos, o nível de água deve ser ainda mais reduzido. A desobstrução dos extravazores é importante para que não atrapalhe o fluxo da água. De forma alguma, os donos devem interferir na vegetação, por exemplo removendo árvores durante o período de chuva, pois pode acarretar em instabilidade na estrutura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.