Sem votos, Temer admite que reforma da Previdência pode ser votada em fevereiro

Segundo presidente, governo irá aguardar até a próxima semana para certificar se tem os 208 votos necessários

O presidente Michel Temer admitiu nesta terça-feira (12/12) que o governo vai aguardar até a próxima semana para reunir os 308 votos necessários na Câmara dos Deputados para aprovar a reforma da Previdência. Caso perceba que não tem o número necessário, a data da votação pode ser em fevereiro de 2018. A informação é do Estado de São Paulo.

A declaração foi feita em conversa com jornalistas no Palácio do Itamaraty quando Temer lembrou que a discussão do projeto no plenário da Câmara terá início na quinta-feira (14).

“Se tiver os 308 votos, vai a voto agora. Caso contrário, se espera o retorno em fevereiro e marca-se data em fevereiro”, disse Temer.

Na última segunda-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse que não colocará em votação a proposta de reforma da Previdência, sem a garantia. “Eu não vou pautar uma matéria dessa se a gente não tiver muita clareza de ter mais de 308 votos. Não é bom para o Parlamento, e muito menos para o Brasil, ter uma votação com resultado ruim. Até porque, se a expectativa for de derrota, o resultado será pior ainda daquele projetado antes da votação”, enfatizou, ao participar de reunião com representantes do agronegócio na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Anjo

O deputado que contribute com os 308 votes esta fora. Tera o nome has redesign sociais.

Daniel Alvie\'s

Absurdo esse temer. Os cabecas saosocios do brasilprev. deputados que apoiarem nunca Mais serao eleitos terao nomes nas redes sociais.