Sem resposta sobre uso do duodécimo da Câmara, vereadora irá judicializar prefeitura de Goiânia

Sabrina Garcês havia apresentado requerimento solicitando prestação de contas da utilização desse recurso e ainda não obteve retorno de Iris

Vereadora Sabrina Garcêz | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A vereadora Sabrina Garcêz (PTB), que apresentou um requerimento à prefeitura de Goiânia, solicitando a prestação de contas sobre uso do dinheiro que retornou ao Executivo, do duodécimo da Câmara Municipal, ainda não obteve resposta do prefeito Iris Rezende (MDB). Com isso, a parlamentar pretende judicializar a administração da Cidade.

Ao Jornal Opção, Sabrina contou que. além disso, planeja fazer uma provocação ao presidente da Casa na terça-feira, 26, sobre o assunto. Já a judicialização se daria por meio de um mandado de segurança, que obrigaria a prefeitura a conceder as informações solicitadas.

“Isso mostra uma desorganização da prefeitura e, talvez, algo que ela queira esconder, afinal em que foram investidos esses milhões economizados pelo poder Legislativo? Porque nós fizemos solicitações e requerimentos que não foram atendidos”, frisou.

A Câmara devolveu à prefeitura, no fim da Legislatura de 2018, um total de R$ 13 milhões. O dinheiro é proveniente do duodécimo anual concedido à Casa. Esse valor não foi utilizado e, portanto, foi devolvido à instância, que ainda não disse onde os aplicou.

Sabrina apresentou a solicitação no dia 20 de fevereiro, mais de um mês depois a resposta ainda não chegou. O prazo era de 15 dias.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.