Sem presença feminina na chapa, Caiado promete dar mais espaço a mulheres se eleito

Governadoriáveis participaram nesta manhã do ato de entrega da Plataforma de Políticas para Mulheres 2018

Foto: Divulgação.

As mulheres são maioria no eleitorado goiano e com foco voltado para esse eleitorado algumas legendas em Goiás reforçaram o número de candidatas nas chapas majoritárias e proporcionais. Em Goiás, alguns partidos se desta­cam na aposta do voto feminino. O PT, por exemplo, lançou a professora Kátia Maria ao governo, a vereadora anapolina Geli Sanches ao Senado e para primeira suplência do de­putado estadual Luis Cesar Bue­no a professora Raquel Valadares (PCdoB).

Já o governador e candidato à reeleição José Eliton (PSDB) escolheu para sua vice a ex-secretária de Educação Raquel Teixeira. A chapa se completa com a candidatura à reeleição da sena­dora Lúcia Vânia e com a indica­ção da primeira-dama de Águas Lindas, Aleandra Sousa (PTB), na segunda suplência do ex-governa­dor Marconi Perillo (PSDB).

O candidato ao governo de Goiás que lidera as pesquisas, Ronaldo Caiado, do Democrata, apesar de não ter em sua chapa majoritária a presença feminina, e também nenhum projeto aprovado enquanto parlamentar em benefício das mulheres, disse durante entrega da Plataforma de Políticas para Mulheres 2018 aos candidatos a governadores, nesta manhã, que vai trabalhar para dar mais espaço e oportunidades para as mulheres, caso seja eleito governador de Goiás.

Para compensar a falta de mulheres, Caiado citou, ainda durante a entrevista, a presença de sua assessora de imprensa, da sua mulher e sua filha como parte da presença feminina na política. “Minha assessora de imprensa, minha mulher, e minha filha sempre estão ao meu lado. Elas que fazem minha cabeça 24 horas por dia”, disse.

Único candidato ao governo que tem uma chapa majoritária composta por metade de mulheres, Eliton afirmou durante entrevista que a escolha da vice candidata na chapa majoritária não se deu apenas por ser mulher, e sim também por ser competente, e ter trabalho prestado à população goiana.

“Temos que garantir a elas a condição de agregar valor, de subir na vida, de ter oportunidades e paridade salarial com os homens, mas isso não acontece na canetada, acontece com ações transversais, seja na área do desenvolvimento econômico, do empreendedorismo”, destacou.

O encontro para apresentação da Plataforma de Políticas para Mulheres de Goiás 2018, elaborada pelo Conselho Estadual da Mulher (Conem) foi realizada nesta manhã (28/8), no auditório do Tribunal Regional de Goiás (TRE).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.