Sem posição de secretaria, imbróglio sobre concursados da Educação permanece

A dias do início do ano letivo, Secretaria Municipal de Educação ainda não definiu quando convocará aprovados, nem se dispensará ou não temporários da última gestão

Secretário de Educação, Marcelo Ferreiro | Foto: Marcos Souza​

O imbróglio envolvendo o chamamento dos aprovados no último certame da Educação de Goiânia segue sem um posicionamento da prefeitura sobre o futuro dos concursados. A dias do início do ano letivo, a secretaria ainda não sabe se dispensará em definitivo os 4 mil temporários contratados pela gestão anterior.

Em resposta ao Jornal Opção nesta quinta-feira (12/1), a pasta afirma que ainda não se pronunciará sobre o assunto. “O momento é de transição e o novo secretário está se inteirando das demandas da pasta”, informou.

O concurso da Educação foi aberto em março do ano passado e homologado em setembro, durante a gestão do ex-prefeito, Paulo Garcia (PT). Uma comissão formada pelos aprovados no concurso se reuniu na última quarta-feira (11/1) com o vereador Lucas Kitão (PSL) para tratar do caso. Uma reunião com o secretário Marcelo Ferreira está prevista ainda para essa semana.

Em matéria publicada no site do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), o secretário recém-empossado afirma que, apesar da recomendação do Ministério Público de chamar os concursados no início do ano, existe a necessidade de atentar para o “teto orçamentário”, e a pasta depende do aval do TCM para atender a demanda, que continua sem uma data para convocação.

Em nota enviada ao Jornal Opção nesta quinta-feira, o tribunal informou que o concurso não apresenta vícios de legitimidade ou legalidade, e que o processo aguarda apenas a manifestação do plenário da Corte para a sua efetiva homologação. Isso deve ocorrer, no entanto, somente após o dia 24 de janeiro, quando o órgão retorna de seu recesso administrativo.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.