Sem pedagogos, crianças são dispensadas de CMEIs em Goiânia

Nas unidades de período integral, alunos são dispensados do período vespertino por falta de profissionais

Sala de aula fechada por falta de pedagogos | Foto: Jornal Opção

A crise acarretada pelo déficit de profissionais da rede municipal de educação parece estar longe do fim.  Desde o início do ano, a falta, principalmente de pedagogos, tem prejudicado a rotina nos CMEIs.

No setor Goiânia Viva, as mães que tem filhos matriculados no período integral do CMEI 13 de maio já não sabem mais a quem recorrer. Por falta de pedagogos, a unidade de ensino não tem atendido as crianças no período vespertino.

Andressa  Fonseca tem um filho de um ano e oito meses matriculado no CMEI. Ela conta que apesar de a vaga do menino ser em período integral, desde o início do ano letivo ela busca o filho ás 11:20h, o que tem atrapalhado na busca por um emprego.

“Hoje mesmo eu tinha uma entrevista para trabalhar, mas perdi a oportunidade porque não tenho com quem deixar ele”, lamenta.

Além disso, Andressa reclama que a falta de profissionais no CMEI atrapalha também a rotina de sono dos pequenos.

“Eles almoçam ás 10 horas e dormem ás 11 horas. Quando são 11:20h eu chego para buscar e ele está dormindo.  Eu faço de tudo para ele não acordar, mas não tem jeito. E essa soneca durante o dia é importante para o desenvolvimento dele”.

Déficit

A falta de profissionais da Educação é problema antigo e já foi alvo de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Prefeitura de Goiânia e o Ministério Público. Apesar disso, a solução ainda não chegou nas unidades de ensino da capital.

No dia 28 de fevereiro a Secretaria Municipal de Educação e Esportes (SME) fez um chamamento de 1,3 mil profissionais aprovados em concurso público realizado em 2016. No entanto, nenhum pedagogo faz parte dessa lista.

Para Tiago Morais de Lima, aprovado no certame, deveria constar na convocação do último dia 28 o chamamento de mais de 900 pedagogos para suprir o déficit atual da rede. “São 198 servidores temporários que estão lotados em vagas de déficits de pedagogos. São mais 635 profissionais que estão realizando dobra, isto é, eles têm carga horária de 30 horas e estão cumprindo 60 horas, além das 74 vagas ociosas”, detalha.

Jornal Opção entrou em contato com a SME que por meio de nota informou que já realizou o chamamento de aprovados em concurso e realizou novos contratos temporários. Veja a nota na íntegra:

“A Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) informa que a Prefeitura de Goiânia convocou aprovados no Concurso Público (Edital 001/2016) da SME. O número de convocados superou o total de vagas previstas no certame com 4927 candidatos chamados desde 2017. Assim que os concursados tomarem posse, serão encaminhados para as instituições que precisam.

A SME ressalta que, os contratos temporários são necessários para flexibilizar o quadro de funcionários, uma vez que os processos seletivos para tal são de substituição por licenças e afastamentos legais. A SME tem que garantir ao profissional afastado a vaga que outrora ocupava anteriormente a licença. As chamadas do Processo Seletivo Simplificado (Edital 001/2017) estão sendo realizadas semanalmente”.
 

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ruth A. P. Silva

Prestei o processo seletivo pra Pedagoga, obtive uma ótima classificação, fui convocada e por um descuido só fiquei sabendo da convocação depois do tempo disponibilizado. Liguei pra rever minha situação e disseram que não poderiam fazer mais nada.
Ao meu ver, deveriam fazer circular aos canais de TV aberto. Sendo assim a informação da convocação seria um sucesso!
Obrigada!