Sem Moro, Lula continua com 44% e Bolsonaro sobe para 30%

Primeira pesquisa eleitoral após a retirada da pré-candidatura de Sérgio Moro à presidência prevê segundo turno entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula

Uma semana após o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro (UB) desistir da pré-candidatura à presidência da República, o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) publicou a primeira pesquisa sobre a corrida eleitoral. Encomendada pelo Instituto XP Investimentos, a pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 06, aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está com 44%, o presidente Jair Bolsonaro (PL) está com 30% e o ex-ministro da Economia Ciro Gomes (PDT) foi para a terceira posição, no lugar de Moro, com 9% das intenções de voto.  

Sem Moro, que se filiou ao União Brasil em São Paulo e estava com 9% das intenções de votos na última pesquisa, o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) oscilou de 2% para 3% e está empatado dentro da margem de erro (de 3,2% para mais ou para menos), com a senadora Simone Tebet (MDB), que está com 2%; Já o deputado federal André Janones, aparece com 1%. José Maria Eymael (DC), Felipe D’Ávila (Novo) e Vera Lúcia (PSTU) foram citados, mas não pontuaram. Brancos, nulos, nenhum (9%) e não sabem (3%), somam 12% das intenções.  

Na pesquisa espontânea, quando não são apresentados os nomes dos pré-candidatos, Lula aparece com 36%, Bolsonaro vem na sequência, com 27%, e Ciro Gomes, continua em terceiro, com 4%. Em quarto lugar aparece Moro, que mesmo após a desistência, foi lembrado por 2% do eleitorado. Doria, Tebet e Janones fazem 1%. O ex-governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) e a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (Rede) também foram lembrados, porém, não somaram 1%.

Pelo levantamento, Lula tem 56% de potencial eleitoral, sendo 44% de votos certos e 12% de eleitores que “poderiam votar” no petista. Ciro Gomes aparece na sequência, com 51% de “potencial”, sendo 12% de certeza e 39% de “poderiam votar”. O presidente Jair Bolsonaro tem 37% de potencial, sendo 29% de certeza e 8% de “potencial”. Doria aparece com 6% de certeza e 27% de “poderia votar”.  

Tebet, André Janones e Felipe D’Ávila são mais desconhecidos do que tem “potencial”. Eles têm, respectivamente, 46%, 53% e 58% de “desconhecimento” do eleitorado entrevistado pelo Instituto. O potencial da emedebista é de 18%, 4% de certeza, e 14% de “potencial”; do deputado André Janones é de 10%, 3% de certeza e 7% de potencial; e de D’Ávila é 8%, 1% de certeza e 7% de entrevistados que “poderiam votar”.  

Segundo turno 

Nas simulações apontadas para o segundo turno, Lula venceria todos os três cenários. O petista alcançaria 53% a 33% contra Jair Bolsonaro; 55% a 25% contra Doria; e 52% a 25% contra Ciro Gomes. O cenário entre Ciro Gomes e Bolsonaro aponta uma vitória do pedetista por 47% a 37% e o cenário entre Bolsonaro e Doria aponta um empate técnico (dentro da margem de erro). Bolsonaro está com 39% contra 38% para o ex-governador paulista.  

A pesquisa foi realizada pelo Instituto entre os dias 2 e 5 de abril e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o protocolo BR-03874/2022. Mil pessoas foram entrevistadas. Como citado acima, a margem de erro é de 3,2%, para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,5% 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.