Servidores de Aparecida realizam protesto nesta quinta-feira, 13, e afirmam que prefeito se nega a recebê-los

A pauta de reivindicação é mesma desde o ano passado e estão sendo prorrogadas sem nenhum avanço com a gestão do prefeito Gustavo Mendanha (MDB)

Os trabalhadores da Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia realizam nesta quinta-feira, 13, uma carreata para reivindicar e cobrar os direitos trabalhistas que não estão sendo cumpridos pela atual gestão. A concentração será às 9h, em frente à Secretaria Municipal de Saúde.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás (Sindsaúde), sem avanços significativos nas negociações, os servidores deliberaram na última sexta-feira, 7, pela manifestação quando, mais uma vez, os trabalhadores tentaram se reunir com o prefeito Gustavo Mendanha (MDB). A pauta de reivindicação é mesma desde o ano passado e estão sendo prorrogadas sem nenhum avanço com o Poder Executivo municipal.

“A falta de respeito e o descaso com os servidores aconteceu após a assembleia dos trabalhadores que ocorreu em frente à sede administrativa do município, na última sexta-feira. Como forma de persistência, uma carreata foi marcada para dia 13, em frente à Secretaria Municipal de Saúde”, esclarece em nota o sindicato.

Os trabalhadores reivindicam o pagamento da data-base de 2020 (2,76%), data-base de 2021, progressão de carreira (2%), piso salarial dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agente de Combate a Endemias (ACE), cumprimento da proporcionalidade salarial entre níveis, prevista no Artigo 7º da Lei 085/14, instituição do plano de carreira para motorista de ambulância e servidores administrativos, concurso público e melhores condições de trabalho.

Segundo a categoria, o prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha se nega a receber os servidores da saúde. “Nós que estamos com os salários congelados e enfrentando a pandemia. Eis q o prefeito concede benefícios para os professores e nos esquece na linha de frente”.

O Sindsaúde vem tentando dialogar com o prefeito para corrigir perdas acumuladas que chegam a 71,43% do salário dos servidores. O sindicato já se reuniu inclusive com os secretários de Finanças e de Saúde, mas as negociações não têm avançado de maneira satisfatória.

“Vivemos um momento tão peculiar e que deixou ainda mais evidente a necessidade de valorização dos profissionais de saúde. Portanto, além do cumprimento dos direitos desses trabalhadores, que são legítimos, também é necessário a realização de concurso público visto que o déficit de profissionais impacta diretamente nas condições de trabalho dos servidores atuais.”, ressaltou o presidente do Sindsaúde, Ricardo Manzi.

Outro lado

Em nota, a SMS de Aparecida informou que atual Plano de Cargos e Salários da pasta está em conformidade com a legislação e com os acordos coletivos vigentes. E que em 2020 não foi possível realizar a correção da data-base em virtude da Lei Federal n° 173/2020.

A secretaria pontou ainda que já iniciou os trabalhos de reavaliação do plano, realizado juntamente com os representantes sindicais e tem mantido uma agenda de reuniões com representantes da Secretaria da Fazenda e das categorias de profissionais da pasta para discutir as demandas dos servidores, tais como piso salarial, data-base e progressão de carreira. Inclusive, houve reunião nesta quarta-feira, 12 de maio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.