Seguros de vida são investimentos que crescem em Goiás e geram indenizações imediatas

De acordo com a Sesup, a contratação de seguros de vida cresceu 61% em Goiás em comparação a 2015, superando a média nacional de 29%

No dia 10 de maio de 2017, Edimar Xavier de Godoy faleceu por complicações após um acidente de moto. A morte inesperada do engenheiro agrônomo, além de tristeza para a família, trouxe desorganização financeira diante do imprevisto. Ainda que a dor do falecimento não possa ser amenizada, o seguro de vida contratado por ele conseguiu diminuir o peso burocrático dos trâmites legais e permitiu que a família se reorganizasse aos poucos. “Meu pai sempre cuidou da família, até depois que se foi”, desabafou Juliana de Godoy, uma das filhas de Edimar sobre o seguro de vida que recebeu.

De acordo com o vice-presidente de Marketing e Relações com Mercado do Sindicato dos Corretores de Seguro do Estado de Goiás (Sincor-GO), Amaury Gonçalves, o seguro de vida é “um poderoso instrumento de planejamento financeiro e proteção de entes queridos”.

Vice-presidente do Sincor-Go, Amaury Cunha

Como é um contrato que garante aos beneficiários ou nomeados uma indenização em vários casos, como falecimento, invalidez e doenças graves, pensar em seguro de vida ainda pode parecer um peso, ainda mais quando se é jovem. “Mas se você já começa a mudar sua mentalidade, o que vai agregar é a diminuição dos problemas do futuro, garantindo tranquilidade”, explicou Amaury.

Segundo ele, a importância de um seguro de vida é para todos, mas majoritariamente indicado para quem for provedor de uma família. “Um casal com filhos, na faixa etária escolar, por exemplo, em que crianças ou adolescentes dependem exclusivamente do provedor da casa, o peso de um seguro de vida é muito maior”, ponderou.

Ao longo dos anos, com a independência financeira dos filhos, o peso acaba diminuindo com relação a adversidades, mas ainda assim, o seguro de vida segue como investimento financeiro. “O seguro de vida não aumenta a renda, mas dá um retorno imediato diante de imprevistos, sem que exista risco”, explicou o vice-presidente, já que o pagamento é feito em ate 30 dias após solicitação. Além disso, segundo ele, o investimento é ainda subjetivo, já que é relacionado à saúde e à família.

Para Wagner Bisi, responsável pela operação de uma seguradora nacional no Estado de Goiás, o seguro de vida deve ser visto como uma oportunidade. “Enquanto segurador e cliente, vejo o seguro como uma prova de amor próprio e amor pelo próximo”, disse.

“Vemos muitos casos em que a família se desestrutura ao perder o ente responsável pelo gerenciamento financeiro, então o seguro de vida se torna um investimento, principalmente nas pessoas que você mais ama”, garantiu.

Wagner explicou que, ao contratar um seguro de vida, é preciso fazer cálculos sobre como a família se restruturaria na falta de um provedor. “As contas devem se basear nos gastos mensais e no quanto seria necessário para que os dependentes se restabeleçam em caso de algum infortúnio”, justificou.

“O ponto crucial é essa percepção de que não somos donos do tempo e não temos controle de tudo. O seguro de vida é uma segurança para as incertezas”, finalizou, acrescentando que o investimento pode ser aplicado também nos negócios. “Às vezes, um empresário é tão controlador, que, na falta dele, a empresa se desestabiliza, mas o benefício do seguro de vida permite que se contrate alguém para dar esse suporte”, orientou.

Além de investimento seguro, o vice-presidente do Sincor-GO lista ainda outras vantagens do seguro de vida: por não ser tratado como herança, ele não entra no inventário e ainda conta com isenção fiscal. “Lembrando sempre que coberturas são inúmeras e variam com o perfil do cliente”, esclarece.

A possibilidade de resgatar parte do valor aplicado, em alguns seguros específicos, equipara o seguro de vida também a uma poupança.

Cenário em Goiás

Em 2016, a adesão aos seguros de vida na região Centro-Oeste teve crescimento de 21% entre janeiro e novembro, se comparado ao mesmo período de 2015, conforme dados da Federação Nacional dos Corretores de Seguros Privados (Fenacor).

Em Goiás, a contratação de seguros de vida cresceu 61% em comparação ao ano anterior, superando a média nacional de 29%, conforme dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

“É o trabalho que a indústria do seguro tem feito para conscientização das pessoas, além do próprio amadurecimento do consumidor, que sente a importância de se prevenir”, explicou Amaury.

“As pessoas têm visto esses infortúnios acontecerem em exemplos claros, ao mesmo tempo em que enxergam a eficácia do seguro de vida”, disse ele, alertando que ainda há um espaço enorme para o crescimento do setor.

Por fim, Amaury orienta que, “para uma boa consultoria e um bom contrato, é preciso consultar sempre um corretor de seguros”.

Veja os tipos de coberturas existentes, onde a contratação pode ser feita pela internet, pessoalmente ou mesmo por telefone:

Tipo de cobertura existente Como funciona
Morte (natural ou acidental) Cobertura oferecida em caso de falecimento do segurado, não importando a causa da morte.
Morte acidental Cobertura que garante indenização somente em casos de morte por acidente.
Invalidez permanente total ou parcial por acidente (IPA) Indenização em função da perda, redução ou incapacidade definitiva, total ou em parte, de qualquer membro ou órgão devido à lesão física provocada por acidente pessoal.
Invalidez permanente total por acidente (IPTA) Indenização em casos em que a invalidez permanente causada por acidente é total, ou seja, exclui-se a invalidez parcial.
Invalidez permanente por acidente majorada (IPAM) Cobertura que considera o aumento nos percentuais de algumas perdas, considerando a importância de certos membros ou órgãos para o segurado.
Invalidez laborativa permanente total por doença (ILPD) Cobertura que garante o pagamento do capital segurado se for comprovada invalidez laborativa permanente total provocada por doença.
Doenças graves (DG) Neste caso, a indenização é feita quando alguma doença prevista no contrato se manifesta no segurado.
Inclusão dos cônjuges ou filhos Em alguns seguros, é possível incluir cônjuges ou filhos como dependentes.
Vida inteira Tipo de contrato com vigência por toda a vida do segurado. Depois que é emitido, ele não pode ser cancelado.

Deixe um comentário