Segundo MP, sino comprado pela Afipe para nova Basílica de Trindade custou R$ 17 milhões

O valor pago seria quase três vezes maior do que foi divulgado pela instituição

Maior sino do mundo | Foto: Divulgação Basílica de Trindade

Em coletiva virtual na tarde desta quinta-feira, 10, o promotor  Sandro Haldfeld revelou que um sino comprado pela Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) custou R$ 17 milhões. O valor seria quase três vezes maior do que foi divulgado pela instituição, que foi fundada e era presidida pelo Padre Robson – alvo de investigação do MP. O contrato de compra do sino foi um dos documentos apreendidos pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) na Operação Vendilhões, que apura suspeitas de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

“Já foi pago tudo, os R$ 17 milhões. Foram 4 milhões de dólares na cotação de agosto de 2014 e R$ 7 milhões. Apreendemos o contrato de aquisição, R$ 6 milhões era só uma parcela”, afirmou o promotor Sandro Haldfeld.

O sino foi importado da Cracóvia, na Polônia. Segundo informações da própria Afipe, o sino tem 4 metros de altura, 4,5 metros de diâmetro e 55 toneladas. Ele começou a ser produzido há dois anos.

Chamado de Vox Patris, em homenagem ao Divino Pai Eterno, o sino é composto 78% por cobre e 22% por estanho e conta com imagens em fundição, na parte externa, que narram a história da Santíssima Trindade desde 1840 até a construção do santuário em Trindade.

A Afipe confirmou o valor que foi divulgado pelo MP. Em nota a entidade disse ainda que a nova diretoria que tomou posse na ultima quinta-feira, continua trabalhando na apuração de todos os fatos.

Nota na integra

O Ministério Público está correto nas informações prestadas. A Afipe, já na tarde hoje comprovou que a compra dos sinos aconteceu e o valor é de R$ 17 milhões. Foi apurado também que o valor é referente a compra de 73 sinos, sendo um conjunto de 68 em carrilhão, um conjunto de 4 sinos tipo badalos em quarteto ideal e um sino de badalo vox dey. A nova diretoria que tomou posse na ultima quinta-feira, continua trabalhando na apuração de todos os fatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.