Secretário não consegue responder vereadores e amplia crise de Iris com Câmara

Comissão Especial de Inquérito que investiga contas da prefeitura termina fase de oitivas sem esclarecimentos da atual gestão

A última oitiva da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga as contas da Prefeitura de Goiânia nas gestões PT/PMDB, realizada nesta quarta-feira (13/9), foi marcada pela ausência do prefeito Iris Rezende, que recusou o convite do colegiado e foi representado pelo secretário municipal de Finanças, Oseias Pacheco.

Durante a reunião, o auxiliar falou de forma genérica sobre as contas do Paço e reforçou o discurso de “terra arrasada” que vem sendo repetido pelo prefeito peemedebista e seus auxiliares para definir a situação financeira da capital após a útima gestão.

Sem precisar sobre os rombos em áreas como saúde, limpeza urbana e educação, Oseias tão somente confirmou o que o relator do colegiado, o vereador Jorge Kajuru (PRP), adiantou no início da oitiva desta quarta: a gestão Iris age com irresponsabilidade ao se omitir em prestar esclarecimentos à Casa de leis e à população.

“Iris revelou mais uma vez seu lado irresponsável. Ele poderia falar sobre as áreas da saúde, sobre a Comurg e sobre a Educação. Na gestão Iris, ocorreu irregularidades que poderiam ou não ser esclarecidas aqui hoje. Nem bandido se recusa a ir em CPI”, lamentou Kajuru.

A falta de informação técnica por parte do Paço também incomodou a presidente da CEI, a vereadora Priscilla Tejota (PSD). Durante a oitiva, a parlamentar disse que a impressão é de que a atual administração vem “empurrando o que há de errado para debaixo do tapete”.

A pessedista disse estranhar que, apesar de a prefeitura dizer de maneira reiterada que há um déficit nas contas públicas, nem sequer procurou o Tribunal de Contas para apresentar o que haveria de errado. “Fica uma impressão de continuidade de poder. O que tem sido feito de diferente não é visto”, lamentou a presidente do colegiado.

Fim dos trabalhos

Convidado pelo relator do colegiado, vereador Jorge Kajuru (PRP), o prefeito Iris Rezende não tinha obrigação de prestar depoimento e informou que não compareceria na reunião que acontece nesta quarta-feira (13/9).

Conhecida com CEI da Herança, a comissão investiga as finanças da administração municipal no âmbito de várias secretárias e apurou as contas públicas nos últimos oito anos, abarcando as administrações de Iris e do ex-prefeito Paulo Garcia.

Mesmo sem a oitiva do peemedebista, o relatório final será apresentado e votado pela comissão na próxima sexta-feira (15/9). Kajuru adiantou que os documentos compilados durante as investigações apontam irregularidades em pelo menos três áreas da prefeitura: Saúde, Educação e o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (IPSM).

Na segunda-feira (11/9) a secretária de Saúde Fátima Mrue também havia sido convidada mas não compareceu.

Deixe um comentário