Secretário do Mato Grosso do Sul sinaliza replicar modelo da saúde goiana em seu Estado

“Ideia é levar muito das ações em saúde desenvolvidas em Goiás”, disse Geraldo Resende, após conhecer hospitais, Conecta SUS e se inteirar da gestão do colega Ismael Alexandrino

Ismael Alexandrino recebe secretário de Estado da Saúde de Mato Grosso do Sul (MS), Geraldo Resende | Foto: Ascom

“Ficamos muito impressionados com o que foi apresentado e com o salto de qualidade que a saúde pública de Goiás atingiu neste último ano”. O comentário é do secretário de Estado da Saúde de Mato Grosso do Sul (MS), Geraldo Resende, ao visitar o colega Ismael Alexandrino, nesta quarta feira, 22, para conhecer as políticas de gestão da atual administração do Governo de Goiás. “A ideia é levar muito das ações em saúde desenvolvidas em Goiás para o nosso Estado”, acrescentou.

Acompanhado por técnicos da área, o chefe da saúde do MS ouviu de Alexandrino que a Saúde é uma das as prioridades do governador Ronaldo Caiado. O secretário de Goiás explicou que na administração dos hospitais, os contratos de gestão foram renovados com novas metas de produção e readequação dos valores repassados às organizações sociais (OSs).

Com os ajustes, foi possível aumentar a produção hospitalar, como o número de internações. Foi ainda aplicado um sistema de gestão que mensura os resultados de todos os hospitais do Estado, comparando metas e indicadores. “Considero a gestão por OS mais uma das ferramentas para qualificar a administração hospitalar e melhorar o atendimento”, disse Alexandrino aos visitantes.

Sobre a regulação, foi explicado que houve avanços nas parcerias com os municípios que têm gestão plena e, por isso, são os responsáveis por regular pacientes. Alexandrino explicou ainda que, antes de assumir a pasta, o Estado tinha acesso ao paciente em dois dias. Hoje são cerca de 9 minutos.

Revolução

“Tínhamos a informação que Goiás está passando por uma revolução na gestão da saúde pública. Há algum tempo, tinha a expectativa de conhecer in loco essas realizações. Confesso que tive uma ótima impressão, e os resultados demonstram isso”, comentou o secretário Geraldo Resende.

Alexandrino citou a Policlínica de Posse como um dos exemplos da regionalização da saúde no Governo de Goiás. A unidade será inaugurada no fim de fevereiro e atenderá a região do Nordeste Goiano. No total, contará com 19 especialidades. A expectativa do secretário é que das 18 Regionais de Saúde, 17 tenham uma unidade com esse perfil. A exceção é a Regional Central, que contempla a Região Metropolitana de Goiânia, e concentra a ofertas dos serviços de saúde no Estado.

A comitiva ainda conheceu o Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde – Conecta SUS Zilda Arns Neumann, na sede da SES-GO, e as ferramentas de gestão criadas nessa central de informação. São mais de 200 indicadores monitorados, como mortalidade infantil e materna, nível de infestação da dengue e cobertura de vacinação.

Visita a hospitais

A comitiva do Mato Grosso do Sul, conduzida pelo secretário Ismael Alexandrino, também conheceu quatro hospitais da rede pública estadual: HGG, Hugo, CRER e Hugol. A saúde estadual de MS deseja incorporar o modelo de gestão por OSs em seus hospitais e, por isso, visitou algumas unidades goianas, que são referência nacional nesse modelo de administração hospitalar.

Os técnicos também conheceram o Hugol e Hugo, que são hospitais de urgências. Neles, conversaram com pacientes, não viram filas de pessoas nos corredores, presenciaram ambiente limpo e alimentação saudável – a comitiva acabou almoçando no Hugo.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.