Secretário de Segurança Pública alerta para importância de denunciar violência doméstica

Das vítimas de feminicídios registrados neste ano em Goiás, cerca de 90% não havia registrado ocorrência sobre agressão ou ameaça

Apresentação dos indicadores criminais de 2018 | Foto: André Costa

“Nossa maior preocupação com as mulheres é que elas estejam conscientizadas de que é preciso denunciar a violência, mesmo quando ela acontece dentro de casa e por pessoas próximas”, afirmou o secretário de Segurança Pública, Irapuan Costa Júnior, ao analisar os índices de criminalidade na manhã de quinta-feira (2/8). Na ocasião, o titular fazia referência ao fato de grande parte das mulheres não denunciarem as agressões sofridas em casa, assim que a violência tem início.

De acordo com Irapuan Costa Júnior, quando a vítima de agressão não procura ajuda das autoridades de segurança, a tendência é a de que a violência se amplie e possa até terminar em morte.

Preocupada com este tipo de incidência, a Secretaria de Segurança Pública desenvolve programas de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, como a Patrulha Maria da Penha e atendimento apropriado nas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher.

Esse trabalho tem dado resultados muito positivos. Em três anos de existência, a Patrulha Maria da Penha realizou cerca de 5 mil atendimentos. Mais de 56% das vítimas de violência doméstica atendidas pelo programa solicitaram o encerramento do atendimento, por terem cessado as circunstâncias que levaram à sua solicitação. Os demais continuam sendo atendidos.

A Patrulha Maria da Penha tem atuação em 24 municípios goianos: Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Posse, Águas Lindas, Cidade de Goiás, Caldas Novas, Catalão, Formosa, Goianésia, Iporá, Inhumas, Itumbiara, Jataí, Luziânia, Mineiros, Novo Gama, Planaltina, Porangatu, Rio Verde, Santo Antônio do Descoberto, Senador Canedo, Trindade e Valparaíso.

Das vítimas de feminicídio registrados neste ano, em Goiás, cerca de 90% não haviam procurado os órgãos de segurança, ou seja, não registraram ocorrência sobre agressão ou ameaça.

Deixe um comentário